20 de junho de 2017

Estes dias

Depois do flagelo que tem assombrado o nosso país tem sido difícil partilhar o que quer que seja nas redes sociais. A alegria de estar na praia com os meus filhos ou de me rir com mais uma gracinha deles parece uma afronta a quem viveu e ainda vive o drama dos incêndios, a quem perdeu tudo, a quem perdeu a vida....
Como é que se ultrapassa tantas imagens de sofrimento, de terror, tantos testemunhos de quem sobreviveu e de quem viu outros partirem e não voltar? Tantos rostos, tantos nomes..... Temos sido inundados com tudo isto em todo lado. É chocante!
Tenho adormecido atormentada com as imagens que vejo e com os pensamentos que devem passar por muitos de nós "e se fosse eu? e se fossem os meus filhos?". Parece que um vazio entrou em mim. Tornou a minha vida insignificante perante este cenário. Que impotência. Só nos resta ajudar quem sobreviveu, quem arrisca a sua vida a troco de nada. 
Aos poucos retomo a rotina normal, que no fundo nunca foi deixada, pois há filhos, família, trabalho e a vida tem mesmo que continuar.
Apesar do incêndio ter sido de origem natural, espero que de uma vez por todas alguém se preocupe com a nossa floresta. Mas que se preocupe a sério, de forma imparcial e tendo em conta que as pessoas estão em primeiro. 
Obrigada aos bombeiros. Obrigada mesmo. Pena só nos lembrarmos deles nestas situações. Mas eles estão todo o anos ao nosso serviço. Muitos deles em voluntariado. E quando se é voluntário faz-se de coração. Obrigada!


14 de junho de 2017

5 anos de Vicente

O Vicente fez 5 anos. Uma mão cheia, como lhe dizemos. Estava ansioso que chegasse o dia que até fez contagem decrescente. Pediu para ir ao parque, para fazer um piquenique, queria o nosso bolo de chocolate com a vela do Faísca (que usámos quando ele fez 2 anos) e muitos legos.
De manhã acordámos e quando chegou à sala tinha à sua espera uma bicicleta nova (de crescidos) com um mega balão do homem aranha a sobrevoá-la. Adorou! A bicicleta sem pedais em que ele anda já não é adequada para a idade e passámos ao nível seguinte. Na parte da manhã aproveitámos a praia, já que as temperaturas assim o pediam. E os miúdos nunca dizem que não!
E depois ainda soprou a vela do Faísca no parque, comemos o nosso bolo de chocolate e recebeu legos dos avós e de uma vizinha super querida, que de manhã soube que ele fazia anos e ao almoço tocou à campainha com um presente para ele (mais legos!!!!parece que adivinhava!!!!).
Foi um dia de passeio e de brincadeira. Mas agora ele continua ansioso......pela sua festa de anos, onde vai ter a família e alguns amigos para brincar. Ahhhh, e também quer receber muitos presentes!!!!!!! Legos!!!!!





6 de junho de 2017

Styling

No fim de semana passado comprei uma saia pela qual estou apaixonada (podem vê-la no meu instagram). Como não consigo deixar peças novas muito tempo com etiqueta, usei-a no domingo para um passeio a dois. É super fresca e confortável (mesmo com a ventania que estava no domingo não tive problemas com vôos inesperados) e dá para conjugar de diferentes maneiras. Para já usei de uma forma mais descontraída, mas já estou a pensar em trocar os acessórios e o calçado e dar-lhe outro toque.
A saia é da nova coleção da Zara, mas não a consigo encontrar no site. Fiz duas combinações com uma outra saia do género, que encontrei na Mango.
Acho que vamos ser muito amigas, sobretudo naqueles dias quentes de verão. E como eu sou branquelas, branquelas, a saia tapa-me quase toda a perna, pelo que dá para disfarçar um bocadinho o meu tom de lula (coisa mínima, ehehehe).


 

5 de junho de 2017

Tempo a dois

Desde que sou mãe, sempre defendi tempo a dois, sem filhos. Há uns meses que nos andávamos a esquecer destes momentos e agora, aos poucos, temos vindo a conquistá-los. Andamos de mês para mês, semana para semana a tentar marcar um fim de semana a dois. Ora por isto ou aquilo não o temos feito e então decidimos aproveitar alguns domingos para um almoço a dois e uma tarde de passeio. Não precisamos de ir longe. Aliás, costumamos ficar pelo Porto. A cidade tem crescido imenso e há sempre espaços novos a aparecer. 
Ontem, decidimos ir até Gaia e contemplar o Porto. Não me canso de olhar para aquele rio, as pontes, o casario. Apesar da ventania deu para aproveitar a vista, o sol e colocar muiiiita conversa em dia.




1 de junho de 2017

Styling

Adoro ver roupa, adoro comprar roupa, adoro conjugar peças.
Ao longo dos anos fui perdendo o meu espírito consumista e fiquei mais racional na hora de ir às compras. Comparar peças e preços têm-me ajudado a "comprar melhor". Também gosto da qualidade das peças, mas nem sempre as mais caras são as que vão durar mais ou ficar melhor. A minha regra é ver, comparar, experimentar. E depois, mediante o orçamento para esta parte das minhas despesas, vejo o que posso ou não adquirir. 

De vez em quando, uma ou outra amiga pede-me uma opinião e algumas sugestões para determinadas ocasiões e eu ADORO (ADORO, ADORO, ADORO!!!) construir vários looks, tendo em conta a sua personalidade e os seus gostos (isto ajuda muito). Não é de todo a minha área, nem sei se faço as escolhas mais acertadas. No entanto, na minha opinião, devemos vestir aquilo que nos assenta bem e que nos faz sentir bem, pois é meio caminho para arrasar. Atitude, é isto que eu acho que nos ajuda com os modelitos que usamos.

E como eu gosto muito de fazer conjuntos decidi que vou começar a publicar alguns looks que eu gosto, com peças que já vi e que estão na minha wishlist. Não sendo uma expert na área e sabendo que existem imennnnnnsos blogs que fazem este trabalho, se alguém quiser pedir opiniões também não me importo nada de as dar ;)



Não sei se conhecem este programa que utilizo, Primetag, mas passo a explicar. Já há imensas bloggers a utilizar, pois é possível ganhar dinheiro com ele. Como eu não estava a perceber como isto funcionava, questionei a equipa da Primetag. Deixo-vos aqui o que me responderam.
"Apenas os produtos que constam da nossa pesquisa conferem retorno [financeiro], porque são produtos disponibilizados pelas marcas diretamente e apenas esses estão dependentes das parcerias que temos estabelecidas. Quaisquer produtos adicionados manualmente não dependem do nosso controlo nem das nossas relações comerciais, logo não conferem retorno."
Segundo percebi, os artigos que conferem retorno andam à volta dos 0,10€ e 0,12€ por clique. E vai acumulando com os cliques que vai tendo. Quando é atingido o valor mínimo de 75€ é possível levantar o montante.

Como eu não vou ficar rica com isto (tenho 3,22€ das duas vezes que publiquei com este programa), adiciono os meus artigos manualmente (não tendo por isso nenhum retorno), pois assim quem vê a imagem pode clicar e ver todas as características das peças. Também consigo criar imagens mais bonitas do que aquelas que (de forma muito amadora) faço em word. 
Há uns tempos usei o Polyvore, que também é bom para estas coisas, mas não sei porquê está a dar-me erros com os artigos e então só vi esta solução (se tiverem conhecimento de outras aplicações podem dizer).

22 de maio de 2017

Summer is on

Ainda falta um bocadinho para o verão, ainda vai haver chuva, mas dias de calor são sempre bem-vindos e o melhor é aproveitar quando eles aparecem. Este fim de semana foi muito bem passado com os miúdos. Deu para comer porcarias (mas com vista para o mar, ok?), ir ver os rallys (programa para os homens da casa), aproveitar o nosso jardim e ainda dar um saltinho à praia para brincar na areia, apanhar sol (que a mim não pega por nada!!!!!!) e comer gelados.
Queremos mais dias assim :)


15 de maio de 2017

13 de maio de 2017

Ainda a tentar digerir todas as emoções deste fim de semana. Para mim, o ponto mais alto foi a visita do Papa. Este Papa tão próximo de nós, tão atento, tão simples. Acompanhei praticamente todos os momentos pela televisão e fiquei um pouco arrependida de não ter ido a Fátima. Houve momentos em que me arrepiei e emocionei com tudo o que ouvia e via. Nem quero imaginar se lá tivesse estado. Obrigada Papa Francisco por tudo aquilo que nos transmite.
E ainda com as emoções de Fátima ao rubro, fiquei colada ao ecrã para apoiar o Salvador, no Festival da Canção. Muita magia. Não só a música linda e tão singela, mas também a forma como via todas as pessoas a senti-la. A parte do "twelve points" foi delírio total em casa (mesmo já com os miúdos a dormir e o Vicente a ressonar ao nosso lado...eheheh).
No domingo quisemos um tempo a dois, que é tão preciso e andamos a descurar essa parte. Brunch, passeio pela cidade, descanso na relva e muita conversa (a maior parte dela sobre os nossos filhos queridos...ahahaha...impossível desligar a 100%).

Posso resumir este fim de semana de grandes emoções a uma só palavra: SIMPLICIDADE. Tão simples ser feliz e ao mesmo tempo parece que tão difícil alcançá-la. Vou levar este ensinamento dos últimos dias para o resto da vida. Ser simples. Aproveitar os momentos. Descomplicar. Viver.

8 de maio de 2017

Não é preciso muito para ser feliz

Todos os dias são dia das mães, porque não há segundo em que se possa desligar a 100% deste papel. O dia da Mãe vem apenas reforçar esta missão de amor que as mães têm nas suas mãos. Cada vez mais aprecio os momentos, e por isso este dia tinha que ser simples, com os meus filhos. 
Começámos com um acordar de beijinhos e as prendinhas dos miúdos. Como é engraçado perceber a forma como os nossos filhos nos vêem.
Depois saímos de casa para um belo pequeno almoço numa esplanada, pois não podíamos desperdiçar o maravilhoso dia de sol. Claro que uma mãe feliz passa muito por ver os filhos felizes, pelo que fomos com eles para o parque. Correram, subiram, desceram, viram os patinhos e a seguir almoço em família (que ao domingo já costuma ser rotina).
De tarde rumámos a um piquenique no parque. Para além do bom tempo, uma grande amiga fez anos (e também fez um bolo delicioso!) e tínhamos que comemorar. Mais brincadeira, mais corridas (mais um galo na cabeça da Inês!!!), mais flores para a mamã e muita felicidade estampada nos rostos dos miúdos.
Regressámos a casa completamente estourados. Todos, crianças e adultos. Banhos, jantar e cama. Deitar-me assim cansada e tão feliz faz de mim um mãe e uma filha muito agradecida.

Obrigada mãe por tudo o que me ensinas, por todo o apoio que nunca falta. 
Obrigada filhos por todo o carinho que me dão, mesmo quando fazem cara feia.

Não tenho muitas fotos, mas o dia ficou guardado no meu coração :)

21 de abril de 2017

Mini-férias no Algarve

Este ano decidimos fazer uma pausa nas férias da Páscoa e rumar em família até ao Algarve. Foram apenas 5 dias mas que valeram bem a pena.
Ao início estava um pouco de pé atrás. Com o Vicente não temos muitos stresses. Ele é obediente, calmo, já se entretém sozinho e é um bom conversador. Já com a Inês, as coisas não são más, mas também não costumam ser muito pacíficas. Faz birra quando as coisas não estão como quer, se tem sono fica mais irritada e tem mais horários rígidos que o irmão. Mas o problema não está do lado das crianças, mas sim do meu. Acho que as coisas têm que ser idílicas e demasiado perfeitas. Foi aqui que decidi que tinha que me obrigar a desligar todos os complicómetros da minha cabeça. E o que aconteceu? Houve alguns momentos de birra e teimosia, mas correu tudo muito melhor do que inicialmente eu esperava.
A viagem do Porto ao Algarve é sempre demorada. Com dois filhos.....ainda mais. Conseguimos gerir bem as horas, os sonos e as horas de petiscar alguma coisa (íamos petiscando em vez de fazer "o" almoço normal) e apenas com 3 paragens correu tudo super bem. À vinda o mesmo!
Assim que chegámos ao hotel, percebemos que só podíamos passar uns dias excelentes. Ficámos no Vidamar Resort Hotel Algarve, onde tem todas as comodidades para férias com crianças. Quartos grandes, staff simpático e sempre atencioso (desde a receção às funcionárias da limpeza), piscina para crianças e piscina de água quente, a praia logo em frente, um cantinho do bebé com tudo o que uma mãe precisa, kids club, sala de jogos, até o buffet de pequeno-almoço e jantar tinha sempre coisas pensadas para os mais pequenos......enfim, não seria pelo alojamento que as férias poderiam correr mal. 
Tivemos imensa sorte com o tempo. Temperaturas de verão (pelo menos para quem é do Norte...eheheh). E também ficámos hospedados nos dias menos movimentados, pois viemos na sexta-feira Santa, o dia em que o hotel devia estar com lotação esgotada.
Aproveitámos a praia e a piscina de água quente, que os miúdos adoraram. O Vicente é mais cuidadoso, mas a Inês um autêntico peixe, que só estava bem a atirar-se e a engolir pirolitos. E os nossos dias foram sempre assim, praia e piscina. Só ao almoço saímos do Hotel para almoçar (apostámos no Algarve Shopping - que fica a 10 minutos de carro - porque era o mais prático), pois achámos os preços dos restaurantes do Resort um bocado puxados para quem queria apenas petiscar. No regresso aproveitávamos para eles adormecerem e dormirem a sesta no quarto.
Voltámos mais frescos e com (algumas) energias recarregadas. Eu vim mais branca do que quando lá cheguei....eheheheh....mas comigo não há milagres! A Inês foi a única que ganhou um bocadinho de cor. Já o Vicente, branquelas como a mãe, ia sempre para a sombra porque não queria ficar moreno, dizia ele...ahahahah!
No final, estes dias só os quatro foram ótimos e só nos fazem bem. Mas agora já precisava de um fim de semana a dois, pode ser?!  :)




Melhor forma de fazer o caminho entre o hotel e a praia. Inês no carrinho bengala e Vicente de bicicleta. Ninguém reclamou que estava cansado!





30 de março de 2017

A rotina da noite

Os nossos finais de dia são sempre bem cheios. Há sempre imensas coisas para fazer e sinto que o tempo me corre pelas mãos. E, tal como o nome rotina indica, os finais de dia são sempre muito iguais. Assim que saio do trabalho, tenho como missão ir buscar o Vicente à escola. Quando dá para ele andar de bicicleta aproveitamos para passear perto de casa. Depois começa a preparação do jantar e uma ou outra arrumação rápida. Antes que o meu marido chegue com a Inês, dou banho ao Vicente e antes do jantar (que tento que comece às 19.30/19.45) há sempre uns minutos de brincadeira entre irmãos. Normalmente, o jantar é um momento silencioso, sorte a minha de ter dois bons garfos, mas também há umas traquinices pelo meio......Enquanto eu ou o meu marido deixamos a cozinha novamente apresentável, um de nós brinca com os miúdos, tentando sempre começar a reduzir barulhos e euforias. Subimos todos e começa a rotina de deitar. Para o Vicente, que já tomou banho, é lavar os dentes, fazer um jogo, ler uma história no quarto dos pais e depois....dormir. Para a Inês, lavar os dentes, um bom banho, vestir o pijama no quarto (já a meia luz), história e dormir. Como ainda dormem os dois no mesmo quarto, a Inês deita-se primeiro e só depois é que vai o Vicente.
E pronto, são 21.00 e a nossa casa está em silêncio absoluto. O Vicente agarrado ao seu Kiconico e a Inês agarrada ao seu 'penke" (panda). Adoro vê-los dormir e saber que estão bem. Eu aproveito e também me deito. Confesso que depois de um final de rotina mais relaxante, tudo o que menos me apetece é descer escadas e ir adiantar arrumações (como passar a ferro, por exemplo). Prefiro ficar pelo quarto a ler, a ver um pouco de tv e a percorrer as redes sociais. Acordo sempre mais cedo, o que me dá jeito para começar a preparar o dia e, não tão frequente como gostaria, ir dar umas corridas antes que todos acordem.
A rotina pode ser esgotante, mas eu acho que já não sei viver sem ela. Dá tranquilidade aos miúdos e nós já sabemos o que nos espera. E ao fim de semana ou em dias especiais, também nos desviamos um pouco ao habitual.