15 de setembro de 2016

Back to School

Chegou aquele dia de setembro tão esperado. Mais pelos pais que pelo Baby Boy. Tentámos não insistir muito sobre o assunto com ele. Para quê?! Já sabíamos que íamos ser bombardeados com perguntas e que a ansiedade ia aumentar. Há uns dias atrás contámos-lhe que ia para uma escola nova. Amigos novos. Brinquedos novos. Espaços novos. Educadora nova. Tudo "novo"! Falámos de todas as vantagens, pois na verdade não há desvantagens. Ele pareceu entusiasmado...até que hoje de manhã disse "quero ir para a escola velha". Disse-lhe que não era possível. Ele perguntou porquê. Tentei ir pelo caminho mais fácil e dizer que agora era só uma escola de bebés. Ele disse que era mentira. Desarmou-me. Contei-lhe a verdade. Daqui a dois anos ia ter que mudar, não havia volta a dar. E nesta escola nova ele vai poder andar mais tempo com os amigos que agora vai fazer.
Como é que uma criança de 4 anos compreende isto?! Não sei. Dizem que eles compreendem mais do que aquilo que imaginamos. Eu acredito. 
Lá fomos nós com o nosso Baby Boy crescido. Nesta escola, o primeiro dia de aulas é com os pais. Ficámos todos na sala a desenhar, a conhecer o espaço juntos, a brincar e a descobrir que afinal há brinquedos que na escola velha também havia. Quando saímos ele perguntou porque é que tinha que mudar!
"Filho, é estranho termos que ficar num sítio onde não conhecemos ninguém, não é? Também aconteceu com a mamã. Quando mudei de escola não conhecia ninguém e achei que ia ficar perdida. Mas todos os dias vamos conhecendo melhor os meninos e as educadoras e depois mais tarde até podemos ser bons amigos. Vais ver que daqui a uns dias já te sentes melhor, é normal!" No meio de tanta coisa que me passou pela cabeça foi o que me saiu. 
Sei que amanhã não vai ser fácil. Apesar de saber que ele compreendeu, também gosta muito das suas coisas e daquilo que conhece. Quem não gosta?! Agora é calma e paciência, com muito amor tudo se resolve :)


14 de setembro de 2016

Ainda do Batizado da Inês

Este post vem um bocadinho atrasado. Já recebi as fotos do batizado da Inês há uns tempos mas só agora estive a escolher quais colocar aqui. Como já devem ter reparado não sou muito de colocar os rostos, pelo que a tarefa não foi fácil. Recebi fotos dos meus filhos que estão para lá de adoráveis. O super simpático Ricardo, da Tales of Light, captou imagens simplesmente lindas e, apesar de não as mostrar todas aqui, posso assegurar que o trabalho está magnífico e que vamos ficar com imagens absolutamente maravilhosas para mais tarde recordar (e muitas para emoldurar). Realmente não há nada como fazer estas sessões fotográficas, seja nestes dias festivos, como também sessões de famílias noutros ambientes (por exemplo, jardins, praia.....).







Fica aqui uma pequena "ficha técnica":

Fofo às florzinhas - Zippy
Fofo branco - Laranjinha
Touca em smocks e body de gola - Loja Maria Bebé
Casaco rosa (pasmem-se!!!!!) - Primark
Sapatos - Ots (no ECI)
Bolo (que depois enfeitei com as flores brancas) - Solar dos Bolos
Vela (que era do Vicente) - compra e gravação na Arte Sacra Porto, anjinho Natura Pura e laço numa retrosaria local
Toalha de família (avó do meu marido)
Vicente - tudo Zara
Vestido renda branco - Mango Outlet


13 de setembro de 2016

Ser mãe também é...

....estar ansiosa para ver como vai ser a adaptação do Baby Boy à nova escola. Instalações maiores, pessoas diferentes, regras diferentes.......eu já sei que as mães costumam "sofrer" mais do que os filhos, e que devemos ficar calmas, e que para eles é mais fácil do que pensamos.....pois, mas aperta-me o coração por ter que deixá-lo no desconhecido.
Eu sei que não estou sozinha. Boa sorte a todos os pais e mães que já têm deixado os filhos nas escolas ou que ainda vão deixar!

9 de setembro de 2016

1 mais 1 são 2

Nas nossas férias reservamos sempre uns dias a dois. Se antes já dávamos valor a estes momentos, agora com dois filhos e muito cansaço ainda mais nos deliciamos com o silêncio e o dolce far niente.
Desta vez rumámos a Arcos de Valdevez para descansar nas Casas de Li - charming and flavour houses. Este alojamento de turismo rural proporcionou-nos conforto, sossego e boa gastronomia, não fosse ele da conhecida 1ª masterchef Lígia Santos. Com poucos quartos e com um ambiente muito simpático, cosy e familiar, optámos por passar o dia entre a relva e a piscina, saindo apenas para almoçar pelas cidades mais próximas, como Ponte da Barca e Ponte de Lima.
As saudades dos miúdos são sempre muitas, mas o descanso, o silêncio, o não ter nada para fazer/arrumar/organizar, também são necessários durante o ano. Foi relax total e já não vejo a hora de voltar a fazer uma escapadinha destas!








8 de setembro de 2016

Mais um casamento, mais (in)decisões

Mais um casamento e desta vez de família. E chegam as indecisões, o que resultará melhor, o que será mais confortável?!....e tantas outras questões. E como desta vez os miúdos também foram, não queria vestidos muito compridos, nem muito curtos. Não vos vou falar da saga pela procura do modelito, porque quase de certeza que todos, principalmente as mulheres, já passaram por isto. Posso dizer que andei pelos vermelhos, depois pelos azuis-cinza e acabei num azul klein lindo. Apaixonei-me por um macacão da Tintoretto e só via coisas boas nesta escolha. Mobilidade, elegância, zero problema com pernas bronzeadas e possibilidade de trocar as sandálias de salto por umas cunhas (muito mais confortáveis) sem ninguém reparar. Já com ele em casa ainda me deu para ir procurar um vestido que tinha visto e, não sei porquê, me tinha apaixonado à primeira vista. A cor morria em mim, as sandálias teriam que ser as ideais para um vestido ligeiramente acima do tornozelo, mas alguma coisa me fez pensar nele até 1 semana antes do casamento. Sorte ou azar, o vestido já tinha esgotado nas lojas......
Como ia super tapada queria um apanhado. Não demasiado simples, como o rabo de cavalo que levei em março, nem muito elaborado ou demasiado preso (já me bastavam as duas crias atreladas a mim para me fazer parecer velha!). Expliquei à cabeleireira e ficou como eu queria. Maquilhagem a gosto e a pedido e 5 minutos antes de sair de casa escolhi os brincos, em dourado, que sobressaiam mais.
Para os miúdos apostei em cores claras e consegui encontrar tudo nos saldos da Gocco, Laranjinha e Tizzas. A coroa de flores que fiz para a Inês também ficou um máximo naqueles caracóizinhos dela.
Correu tudo muito bem. Os noivos estavam radiantes, o espaço da festa muito bem decorado, o catering delicioso.
E que vivam felizes para sempre.







7 de setembro de 2016

Férias em família

Férias. Aquela palavra tantas vezes dita e pensada durante todo o ano. Este ano decidimos deixar a confusão do Algarve (em pleno agosto) e fomos para Sesimbra. Tínhamos lá estado há dois anos, nas mini-férias a dois. Não desiludiu em nada. Ficámos nuns apartamentos quase em frente à praia, muito confortáveis e com todas as comodidades necessárias para quem vai com filhos. Foi no Cerca da Vitória II, o qual recomendo pela localização, conforto e excelente relação qualidade/preço. 
Este ano não fomos sozinhos, os meus pais também se juntaram a nós. Para o Vicente foi o melhor de dois mundos. Pais, avós e férias......o que ele poderia pedir mais (talvez mais gelados, se pudesse)!!!!!
A rotina foi simples e para nós é a que melhor resulta: pequeno-almoço / praia / almoço / sesta / lanche / praia / jantar / passeio / dormir.
Claro que com filhos nunca é descanso total, mas como eu costumo dizer "sabe bem ir cansar-me para outro lado". Com os meus pais por perto também não posso dizer que nada descansei, pois sempre são mais 4 mãos e dois pares de olhos em cima dos miúdos, o que deu para muiiiiiiitos mergulhos naquela água quente e deliciosa. Bolas de berlim, sempre. O único senão de Sesimbra é o tamanho com que a praia fica em maré alta......de tarde foi sempre complicado arranjar lugar, mas lá fomos conseguindo.
O mais importante foi estarmos em família e ver a felicidade dos miúdos.










6 de setembro de 2016

Quando perdemos alguém

Há pouco tempo perdi uma pessoa que me era muito querida. Fez sempre parte da minha vida e ensinou-me muita coisa. Quando adoeceu seriamente, todos à sua volta começaram a preparar-se para o pior......mas quando aconteceu custou muito. E quando essa pessoa que parte só nos deixa boas (e muiiiitas!) recordações, o sentimento de tristeza parece ainda maior. Que saudades!!!
Apesar de me sentir muito triste e de ter constantemente momentos de nostalgia, também sinto muita paz interior. Não sei se tem alguma relação direta, mas o fato de ter dito sempre a essa pessoa o quanto gostava dela, fez-me sentir que não deixei nada por dizer. Há uns anos atrás trocámos uns postais pelos nossos aniversários onde escrevíamos sobre a admiração uma pela outra e sempre que conversávamos falávamos abertamente de muitos assuntos.
Era isto que gostava de partilhar com vocês. Nunca esperem pelo momento certo para dizer que gostam de alguém, para dar um abraço, para dizer uma palavra carinhosa. Seja a filhos, a namorados/namoradas, a maridos/mulheres, a amigos, aos pais, aos avós, aos vizinhos, aos colegas de trabalhos......a todos aqueles de quem gostarem. Todos os segundos da nossa vida são o momento certo!

5 de setembro de 2016

De volta

Férias são férias e desliguei-me um bocadinho da escrita aqui no blogue. No entanto tenho algumas coisas para partilhar com vocês. Espero conseguir fazê-lo durante esta semana. 

Começo por um DIY que fiz com o Vicente, imaginem só....a pedido dele.
Comprei uma t-shirt na Mango, naquelas megas promoções de finais de saldo. É uma tendência, pois tem aquelas aplicações decorativas. Assim que o Vicente me viu com ela disse logo que queria uma igual. E foi fácil. Comprei uma t-shirt básica na Zippy e uns remendos que se vendem na Stradivarius e já está. A aplicação é do mais rápido que há. É só colocar o ferro de passar por cima durante uns segundos. Ele adorou andar "igual" à mãe.
Sobraram dois símbolos mais de meninas e já estou a pensar comprar uma t-shirt para a Inês. O trio dos remendo...eheheheh
Depois da primeira lavagem saiu um dos símbolos da t-shirt do Vicente, que tive que voltar a colocar. Vamos lá ver quanto tempo duram!


11 de agosto de 2016

Agora só em setembro

Ontem foi o último dia do Vicente na escolinha que frequentou desde os dois anos de idade. Em setembro muda de escola e vai ser outra vez tudo novidade. Confesso que estou apreensiva, pois ele já estava super adaptado às pessoas e crianças da escolinha onde esteve. Mas eles crescem e nesta nova escola já vai poder seguir com os futuros amigos durante mais anos (supostamente, não quero estar já aqui a fazer planos que para já não são os mais importantes). 
Para agradecer o carinho e ajuda de todas as pessoas da escolinha onde andou queria oferecer alguma coisa que lhes tocasse o coração, porque é muito difícil passar para bens materiais o enorme obrigada que tenho para dizer. O Vicente adora fazer os "nossos" bolos de chocolate (um só de chocolate e o outro de chocolate com framboesas), assim como adora ajudar a prepará-los (e prová-los também, claro!). E pronto, ficou decidido que seria essa a forma do nosso agradecimento. 
Fomos os dois comprar os ingredientes, preparámos tudo e levámos aqueles dois pedaços do nosso coração. Fiquei muito feliz por saber que gostaram do miminho e mesmo assim não consigo expressar todo o meu obrigada àquelas pessoas, que desde a cantina à secretaria, passando obviamente por todas as educadoras e auxiliares, conhecem o meu filho, sabem como ele é, ajudam-no a crescer e ajudam-nos a nós, família, a educá-lo da melhor forma possível.
Na despedida foi um misto de alegria por cuidarem tão bem dele e de tristeza por ele sair de lá. 
Novas etapas virão e o importante é ele continuar a ser feliz :)


19 de julho de 2016

Beach life

Enquanto as férias não chegam, temos aproveitado os fins de semana de sol para fazer praia. Os miúdos adoram e ficam super felizes. Eu também adoro estar na praia, mas confesso que ir com filhos ainda é muito cansativo. Com o Vicente estamos mais à vontade para quebrar rotinas, mas com a Inês temos que estar mais atentos aos horários, pois com o sono e a fome fica um bocado rabujenta.....e com razão!
Com a prática vamos descomplicando e percebendo qual a melhor estratégia. Para já a parte mais difícil de gerir são as sestas após almoço. Se decidirmos alugar barraca e ficar o dia inteiro na praia, quando acabamos de almoçar temos que os adormecer. E como? Vão à vez no carrinho bengala dar um passeio. Quando adormecem vão para dentro da barraca dormir a sesta. E começa a hora de descanso dos pais, à sombra do guarda-sol a ouvir as ondas e a ter conversas do início ao fim. No entanto, adormecê-los após almoço é uma tarefa ingrata, pois detesto exposição ao sol nas horas perigosas. Tentamos cobrir tudo com um pano branco bem grande e aproveitar todas as sombras possíveis e imaginárias. Para já tem resultado mas não acho a melhor solução, pelo que estamos a ponderar ir só de manhã ou optar por irem fazer a sesta em casa e voltarmos à praia de tarde. O mais chato desta segunda opção é o caos para estacionar o carro da parte da tarde, mas se for o melhor, paciência.
Com os lanches tem sido pacífico. Fruta, iogurtes, bolachinhas, sandes e sopas, para quando almoçamos na praia. Ninguém passa fome e tento levar sempre o mais saudável possível. Claro que depois há sempre a bola de berlim (tentamos dividir pelos 3) e às vezes um geladinho de sobremesa.
Não faltam baldes, pás, camiões, regador, muito protetor, chapéus na cabeça e muita brincadeira. As idas à água também são uma alegria, mas sempre muito vigiadas. Quando está bom para mergulhos saio de lá renovada com aquela água fria, que nos dias de muito calor sabe ainda melhor.
Regressamos a casa cansados, mas felizes pelo dia bem passado. Tento deixar tudo adiantado para o jantar (menus simples e rápidos), para podermos ficar mais tempo na praia e para não ter muito trabalho após os banhos, quando já só nos apetece deitar.