31 de março de 2011

I like

Finalmente dou uso aos meus pequenos sapatos amarelos. Uma compra num fim de tarde de Inverno.
São da Stradivarius e quando olhei para o preço não resisti! Não sabia muito bem se alguma dia os ia usar. Enfim, coisas de mulher!!!!




30 de março de 2011

Raios te partam

Esta semana estou em casa e acordar às 8h30 com o carpinteiro a tocar à campaínha não é de certeza o melhor despertar de todos os tempos, acreditem que não, ainda por cima porque nem ligaram no dia anterior a avisar-me que ia ter que madrugar.
Mas, como ele viu que eu estava com olhinhos de dormir, deve ter pensado: "Caramba, esta tipa a dormir e eu a trabalhar! Não é justo!". E então toca a ligar a rebarbadeira (ou outra máquina que produz igualmente bastante ruído).
Só me apetece dizer asneiras %%$#$#&$$###"""$%%$##.
Ahhh, e também me apetece ir tomar o pequeno almoço, mas depois de todo o pó que está espalhado pela casa, começo a perder o apetite!

29 de março de 2011

Closet com habitantes

E como o prometido é devido, aqui fica o roupeiro já com os seus inquilinos. Ainda não organizei por cores, nem fiz o rastreio completo, mas já falta pouco.
Ahhh, e já ando a sondar novas aquisições. Mas poucas, que o tempo é de mudanças e crise à mistura.




Spring time

A Primavera já chegou e a chuva também. Já nada era como antigamente. Eu sou do tempo em que em Março festejava o meu aniversário de top e casaquinho de malha.
Ainda vieram uns dias luminosos, mas agora a chuva voltou. Claro, tinha logo que voltar quando ainda temos imensa tralha para mudar para a casa nova.
E para se juntar à festa do mau tempo, ainda houve uma inundação na adega da minha avó (cano rebentado), que é apenas o local onde as nossas caixas estão acomodadas. Vá lá que se safaram as colunas "sound system", o DVD e o robot de cozinha que nos ofereceram e nunca utilizamos.

Mas há que pensar positivo, porque a vida tem que ser encarada com alegria e bom humor. E por isso mesmo, lembrei-me de tirar uma foto a uma das minhas árvores preferidas. Esta está plantada em casa da minha avó, onde estivemos hospedados durante 1 ano, 2 meses e 21 dias.



E só por ver esta foto, olho lá para fora e já vejo o tempo a melhorar!

28 de março de 2011

دبيّ

E vindo directamente, não da Tailândia, mas sim do Dubai, o marido supimpa trouxe-me:
2 anéis, 1 relógio (é da Swatch, mas a garantia tem o carimbo em árabe, o que lhe dá outra pinta) e cookies.
Cara M., não fui a tempo de lhe pedir o champô, mas estou apostada nas bolachinhas que ele trouxe.






21 de março de 2011

Et...Voilà

Tal como vos disse, esta semana que passou foi de missões.
Missão de resistir à saudade.
Missão de levar o máximo de caixas para a casa nova.
Missão de fazer muitas limpezas.
Missão de não ligar muitas vezes para o estrangeiro.
Missão de carregar o telemóvel do marido das arábias.
Missão de subir e descer escadas.
Missão de montar móveis (mesmo sem um parafuso).
Missão de receber presentes. Adoro, adoro, adoro.
Missão de ir buscar o marido ao aeroporto e levá-lo a almoçar.
Missão de receber telefonemas a desejar parabéns. Muitos, Muitos.

Mas a maior missão foi marcar o meu aniversário como sendo o primeiro dia na casinha de bonecas, que agora mais parece a Feira da Ladra. Foi surpresa para o marido. Ele delirou. E ainda tive o presente da loja de electrodomésticos, que enviou os técnicos para instalar o cilindro. Bendita água quente.


A casa ainda está assim:



Mas a missão foi superada e dormimos muito bem:



A cozinha já está abastecida. Tortellinis e Raviolis não faltam. Ah, os tachos da Silampos (tão supimpas que eles são) também já estão acomodados.
A sala, bem, é melhor passar à frente, pois não há palavras para a descrever.
O quarto precisa de uns retoques de decoração, mas está perfeitamente habitável. Foi muito bom acordar, abrir a janela e ouvir os passarinhos.
A casa de banho do primeiro andar está impec. A zona de duche é enorme e só falta mesmo um dos lavatórios, pois estava com defeito. Acontece 1 vez em 1000000 e teve que calhar a nós.
O escritório encontrava-se aceitável, até o marido começar a levar tudo o que é electrónica. Mas mais uns dias e aquilo vai ao sítio.
O terceiro quarto, com a varandinha solarenga, está a servir de apoio a roupas, cabides, toalhas e afins.

E quando eu pensava que a parte mais complicada era a das obras quase acabadas, afinal é a parte das mudanças por acabar e arrumar. Agora, com paciência e dedicação tudo há-de ficar muito supimpa para vos mostrar aqui.

16 de março de 2011

Congrats

Parabéns M.

Como não me posso dar ao luxo de me esquecer dos meus 4 fiéis seguidores, dedico um post só para a M., uma amiga loucamente apaixonada por cosmética, por cacau de qualidade e por disfarces de carnaval.

Nhami nhami. by Merry Cupcakes


Era uma vez uma empreitada...

Durante esta semana assumi os comandos da remodelação de nossa casa. Agora sim, percebi duas coisas fundamentais: como é possível dar um prazo para uma obra e depois demorarem o dobro e como se gastam balúridos de euros não com a obra mas, imaginem só, em carregamentos de telemóvel.

Os prazos : nem sempre o que parece é
Exemplo 1 - O picheleiro (canalizador para os restantes portugueses que não vivem no Norte) / electricista ficou de ir colocar os lavatórios, os espelhos  e as lâmpadas da casa de banho e fazer umas ligações eléctricas. Era suposto ter feito isto tudo no sábado, a partir das 14h. Mas não apareceu. E lá vai estar a casa mais uma semana sem casa de banho do piso de cima. Tendo em conta que a casa de banho de serviço tem 2,5 m2, dava mesmo jeito ter a outra pronta!

Exemplo 2 - O serralheiro está a acabar o corrimão das escadas, mas só falta colocarem os vidros. Depois do corrimão concluído, salta para lá o carpinteiro para uns retoques nos degraus. Mas os vidros ainda não vieram e o carpinteiro também tem que trocar as portas do roupeiro do quarto. Finalmente o serralheiro acaba a parte das escadas e vai lá o carpinteiro. O carpinteiro olha para as portas do roupeiro e diz que não estão mal e se forem mudar como eu quero têm que fazer isto e aquilo e outra coisa e dar a volta à porta.....!!! Pois, mas eu quero aquilo direito. Se a IKEA diz que a porta que desliza por cima tem escovinhas, é porque a porta com escovinhas fica à frente da outra. A IKEA tem sempre razão. E pronto, mais uns dias sem puder fazer a cama e começar a levar a roupa.

O telemóvel devora euros
Exemplo 1 - O picheleiro / electricista não apareceu no dia e hora combinada. Toca a ligar ao senhor a perguntar o que se passa. "Ah e tal eu até ia avisar que hoje não ia dar" (ainda bem que avisou antes da hora de lá estar) "Mas quando eu puder eu aviso a menina" (isto de ser "quando eu puder" é mau presságio). Hoje já é 4ªf e nenhuma notícia, toca a pressionar o senhor. Mais uma mensagem.

Exemplo 2 - Está complicado aprovar o gás, uma vez que temos o esquentador colocado na garagem. Então bora lá colocar também um cilindro, porque já não se aguenta ver a casa praticamente pronta, a cama no sítio com o colchão dos nossos sonhos e nem podemos disfrutar deste pequeno paraíso remodelado. Ligo para a loja que nos forneceu os electrodomésticos. A pessoa que está a acompanhar a nossa obra não está, mas na 2ªf (passada) transferem este assunto para a respectiva pessoa. Chega 2ªf e, só por descargo da consciência, ligo para a loja. Consigo falar com o responsável que não sabe de nada. Mas lá falamos e ele vai fazer a encomenda. Mais tarde liga o senhor a dizer que o cilindro que queremos está esgotado e pergunta se não queremos outro modelo da mesma marca. Ligo ao marido das arábias para decidirmos. Decidimos. Ligo ao senhor da loja e a encomenda fica feita. Disseram-me que entre 4ªf e 5ªf deviam ter o produto mas, com a greve das transportadoras, tudo fica num impasse. Pois, está-se mesmo a ver que vou ter que ligar para lá a pressionar: "Nós precisamos de água quente, nós vamos para lá morar na próxima 6ªf, nós precisamos do cilindro colocado lá até ao fim de semana, já!"




14 de março de 2011

Missão Impossível

Neste momento encontro-me em missão impossível, que só deverá terminar no fim de semana.
Depois disso, revelo o resultado com fotos :)





11 de março de 2011

Eu e o Emplastro

Não, não me refiro à tão famosa personalidade portuense que aperece em tudo o que é reportagens de rua.
Estou a falar daqueles autocolantes de mentol que se colocam na parte muscular afectada por alguma coisa má que decide atormentar-me o dia.
A F. falou-me destas  pérolas "apimentadas" e ofereceu-me uma embalagem para experimentar. Aliviaram bastante a dor, com tanto mentol que aquilo tem. Parece que vou descolar da terra e planar pelos céus de tão potente que aquilo é.
Depois do mau jeito que já falei aqui, comprei uma caixa inteirinha só para mim e desde então que se tem tornado o meu vício. Lá vem uma dorzinha muscular, lá coloco o mentolzinho!
E é assim que, antes dos 30, uma mulher se dá conta que os anos passam, snif!

10 de março de 2011

Dubai ai ai

O marido supimpa vai uma semana em trabalho para o Dubai, snif snif, e a chegada ao Porto é precisamente no dia dos meus anos, clap clap!!!!
Agora a minha dúvida é o que compensa comprar numa cidade em que as grandes marcas estão livres de impostos!!!!
Alguém tem ideias?

Marina do Dubai. by Wikipédia

1 de março de 2011

Em viagem...

E hoje estou de viagem para Lisboa, onde ficarei até 5ªf.
Vão ser 2 dias a empaturrar o bandulho, de tanta comida que oferecem nesta conferência. Esperemos é que com a crise não tenham feito cortes na alimentação.

Aventura garantida

Há uns tempos que não me metia num autocarro da Resende, ainda para mais gratuito (o que significa que são afectados para este serviço os trambolhos mais podres da empresa).
Para quem não conhece, os transportes Resende são conhecidos por: chover lá dentro, terem fumo preto a sair da traseira, andarem de portas abertas por problemas automáticos, chiarem sempre que travam e andarem sobrelotados em hora de ponta. Pelo menos foi pelas experiências que passei e acho que me estou a esquecer de algumas.
Então ontem, como o meu bolinhas está na oficina, lá fui eu para a paragem esperar pelo super transporte gratuito. Eu já ia com medo só de ter que entrar dentro daquela "geringonça", mas até que essa parte correu bem. Pior foi quando a carripana começa a tremelicar por todos os lados e eu vejo a motorista agarrar-se ao volante como se não houvesse amanhã. E é neste momento que se instala o pânico. Um senhor diz que as suspensões estão "F~$%##". Um velhinho assustado diz que podemos ter um acidente. Uma senhora velhinha diz que se o outro senhor não falasse das suspensões ela achava que ia morrer. Depois discutem de quem é a culpa. E entretanto estávamos são e salvos na paragem de destino.
E foi assim, uma viagem de 10 minutos dentro de um autocarro da Resende gerou mais pânico que uma aterragem no Funchal em dias maus!