16 de março de 2011

Era uma vez uma empreitada...

Durante esta semana assumi os comandos da remodelação de nossa casa. Agora sim, percebi duas coisas fundamentais: como é possível dar um prazo para uma obra e depois demorarem o dobro e como se gastam balúridos de euros não com a obra mas, imaginem só, em carregamentos de telemóvel.

Os prazos : nem sempre o que parece é
Exemplo 1 - O picheleiro (canalizador para os restantes portugueses que não vivem no Norte) / electricista ficou de ir colocar os lavatórios, os espelhos  e as lâmpadas da casa de banho e fazer umas ligações eléctricas. Era suposto ter feito isto tudo no sábado, a partir das 14h. Mas não apareceu. E lá vai estar a casa mais uma semana sem casa de banho do piso de cima. Tendo em conta que a casa de banho de serviço tem 2,5 m2, dava mesmo jeito ter a outra pronta!

Exemplo 2 - O serralheiro está a acabar o corrimão das escadas, mas só falta colocarem os vidros. Depois do corrimão concluído, salta para lá o carpinteiro para uns retoques nos degraus. Mas os vidros ainda não vieram e o carpinteiro também tem que trocar as portas do roupeiro do quarto. Finalmente o serralheiro acaba a parte das escadas e vai lá o carpinteiro. O carpinteiro olha para as portas do roupeiro e diz que não estão mal e se forem mudar como eu quero têm que fazer isto e aquilo e outra coisa e dar a volta à porta.....!!! Pois, mas eu quero aquilo direito. Se a IKEA diz que a porta que desliza por cima tem escovinhas, é porque a porta com escovinhas fica à frente da outra. A IKEA tem sempre razão. E pronto, mais uns dias sem puder fazer a cama e começar a levar a roupa.

O telemóvel devora euros
Exemplo 1 - O picheleiro / electricista não apareceu no dia e hora combinada. Toca a ligar ao senhor a perguntar o que se passa. "Ah e tal eu até ia avisar que hoje não ia dar" (ainda bem que avisou antes da hora de lá estar) "Mas quando eu puder eu aviso a menina" (isto de ser "quando eu puder" é mau presságio). Hoje já é 4ªf e nenhuma notícia, toca a pressionar o senhor. Mais uma mensagem.

Exemplo 2 - Está complicado aprovar o gás, uma vez que temos o esquentador colocado na garagem. Então bora lá colocar também um cilindro, porque já não se aguenta ver a casa praticamente pronta, a cama no sítio com o colchão dos nossos sonhos e nem podemos disfrutar deste pequeno paraíso remodelado. Ligo para a loja que nos forneceu os electrodomésticos. A pessoa que está a acompanhar a nossa obra não está, mas na 2ªf (passada) transferem este assunto para a respectiva pessoa. Chega 2ªf e, só por descargo da consciência, ligo para a loja. Consigo falar com o responsável que não sabe de nada. Mas lá falamos e ele vai fazer a encomenda. Mais tarde liga o senhor a dizer que o cilindro que queremos está esgotado e pergunta se não queremos outro modelo da mesma marca. Ligo ao marido das arábias para decidirmos. Decidimos. Ligo ao senhor da loja e a encomenda fica feita. Disseram-me que entre 4ªf e 5ªf deviam ter o produto mas, com a greve das transportadoras, tudo fica num impasse. Pois, está-se mesmo a ver que vou ter que ligar para lá a pressionar: "Nós precisamos de água quente, nós vamos para lá morar na próxima 6ªf, nós precisamos do cilindro colocado lá até ao fim de semana, já!"




Sem comentários:

Enviar um comentário