20 de abril de 2011

Ter ou não ter. Eis a questão!

Quando fui morar com o meu marido iniciámos uma nova aventura. Uma delas foi sem dúvida a limpeza da casa! Ter como comparsas o pó, os vidros, a roupa suja, a loiça para lavar e muitas outras tarefas supimpas que só vistas, não era de certeza o paraíso com que sempre sonhámos. Então decidimos "contratar" uma assistente de transporte da sujidade, para podermos ter tempo para outras coisas. Como não tínhamos experiência na matéria, procurámos ajuda e então lá foi a rapariga que também trabalhava em casa da mãe do meu marido. Uma rapariga nova e simpática até ao dia em que eu chego a casa e lá está ela a limpar.....com a prima! Prima? Mas nós só contratámos uma, não duas. Ou será que não? Ficámos num impasse depois disso, até que ela própria se demitiu porque estava novamente grávida (já ia no 3.º). Tirou-nos esse fardo de cima e lá voltámos à nossa vidinha. Poucos meses mais tarde achámos que precisávamos de alguém que nos desse retaguarda na limpeza. Veio uma outra rapariga, que morava num prédio ao lado do nosso. Tudo começou quando suspeitámos que lhe pagávamos 4h e ela trabalhava menos. Senão vejamos: eu saía de casa às 08h55 e ela ainda não tinha chegado e eu regressava ao almoço às 12h45 e ela já tinha saído! Ai a aldrabona! Mas não demos muita importância. Umas semanas depois, cheguei a casa por volta das 11h e ela já estava de saída. Já?! E de cabelo molhado! Sim, ela tomou banho lá em casa sem pedir autorização! Que grande lata! Aí começámos a delinear uma estratégia para lhe dizer delicadamente que a íamos despromover de assistente de limpeza a vizinha-que-não-serve-para-mulher-da-limpeza. De estratégia passou logo a acção quando numa festa de amigos tivemos que afastar um móvel para apanhar um telemóvel que lá tinha caído. E não é que aquilo estava cheio de algodão doce cinzento? Que vergonha! A rapariga passou a ser apenas a vizinha. Não contratámos mais ninguém até então. E como a casa nova é maior que a anterior ainda ficamos na dúvida em fazê-lo. Mas quantas vezes não ouço no metro as senhoras a falar da roupa suja dos patrões! Isto é pior que o Big Brother.
Para já estamos muito bem assim! Nós arrumamos. Juntinhos, tal como o padre disse no dia do nosso casamento. Mesmo que para isso tenhamos que perder um sábado inteiro. Ohhh god!

3 comentários:

  1. Do it yourselves é um triste lema, mas a melhor solução à vista! Hoje em dia não se pode confiar em ninguém! Xiça... tomar em banho em vossa casa... que distinta lata!!!

    ResponderEliminar
  2. lol Olha filhota, a minha mãe infelizmente limpa casa (11 casas por semana - coitada!) e nunca teve queixa, as patroazinhas até lhe dão "choiriças" da terrinha, "40€" para amêndoas, 20€ para a gasolina... é só mimos :) isso vai da personalidade de cada um. Tives-te azar nas mulheres da limpeza! :) Mas caso estejas interessada e ela tenha um espacinho na sua agenda semanal acho que uma vez ou outra ela pode ir dar o "jeitinho" :) Beijinho ** e hasta la manhana :)

    ResponderEliminar
  3. Ainda assim tiveste sorte!! Conheci uma senhora que também aproveitava para fazer as compras pada casa e na volta ainda provara TODAS as bebidas alcoólicas da casa... Não fossem estar estragadas! Infelizmente há de tudo.

    ResponderEliminar