31 de maio de 2011

Azul Marinho

Gosto de saltos altos, mas de preferência confortáveis. Adoro as minhas sandálias de cunha que, para minha surpresa, foram encontradas o ano passado na Oysho. Nunca pensei que numa loja de underwear pudesse encontrar calçado tão confortável.





Correr ou caminhar?

Em qual das situações tenho mais vantagens?
Corrida - 4,4km em 25 minutos ou Caminhada - 4,5km em 45 minutos?

Quando corro sinto mais calorias a saltar do meu corpo, mas psicologicamente fico mais motivada se for caminhar com passada larga. Este fim-de-semana propus-me ao desafio de correr sábado, domingo e segunda-feira e o resultado foi: correr sábado de manhã, não fazer nada durante domingo e caminhar segunda-feira ao final da tarde. Prova não superada!

30 de maio de 2011

O que eu tenho a dizer sobre os Globos de Ouro

Após assistir a mais uma gala da SIC, temo não conseguir lembrar-me de todas as coisas altamente alucinantes que vi ontem à noite, mas vou tentar.

Andreia Dinis. O vestido, ao estilo colour blocking, pedia outro penteado sem a "bandolete" da irmã mais nova. Talvez o cabelo preso de forma mais leve, sem estar demasiado colado.



Bárbara Guimarães. Será que a Bábá ainda não passou o período de amamentação? Tudo bem que ela está bem servida, mas sempre a mostrar tudo? Na minha opinião não a favorece nada.



Daniela Ruah. Muito elegante. Mais do que o vestido, adorei o penteado. A rapariga tem estilo e traz um pouco do glamour americano à passadeira vermelha portuguesa.



Diana Chaves. Aquele vestido cor de cócó brilhante não lembra a ninguém. Não gostei da cor e do tecido do vestido. Talvez num verde garrafa em organza.



João Manzarra e Jessica Athaíde. Gosto de os ver juntos. Fazem um casal muito fófi.



Kátia Aveiro. Ohhhh Kátia! Parecia um membro da Família Adams e o vestido não era definitivamente o número dela, pois atrás o corpete não apertava.



Marta Rebelo. Porque é que saíste da política? Porquê? O corte de cabelo não é o mais favorável e não gosto do vestido. Vá, talvez se safasse a parte de cima.



Sara Sampaio. Ohhh Sarita bonita (gira de meter inveja), hoje não era a festa do Peter Pan! O vestido era curtinho, mas nem foi isso que desgostei. A parte de trás estava presa em cima por um botãozinho.



Vanessa Oliveira. O que é que te fizeram ao cabelo, miúda? Foi alguma debulhadora que te passou por cima? As ondas estavam demasiado coladas à nuca e pareciam quase que forçadas a ficar na mesma posição. Não respira. Caras larocas mereciam melhor.




Ricardo Pereira. Alguém disse ao rapaz que estava em Portugal? É que de repente só se ouvia brasileiro e pensei que tivesse mudado de canal! Please, se até o Mourinho ganha um prémio no estrangeiro e fala em português, vem-me este mostrar o que aprendeu no outro lado do oceano. E eu que o tinha em tão boa consideração.



E se em vez de Globos de Ouro, fosse Globos de Vermelho? A cor dominante concerteza, quer para o bem, como para o mal. Fez-me lembrar a Feijoada da Caras onde todos vão com alguma coisa vermelha.








Eu sou a Jessica Rabbit, mas pintei o cabelo para ninguém me conhecer. Isto é que foi tudo de pernoca à mostra. Foram tantas que até enjoou.








Inês Folque. O meu preferido. Porque é muito supimpa, porque é da H&M e faz ver a muitos outros com mais uns zeros à frente, porque a miúda até tem pinta e um tom de pele que eu gostaria de ter. Foi uma surpresa.



E havia muito mais coisas para dizer, mas para já ficamo-nos por aqui.
Têm algum preferido?
 Fotos: VIP e Caras.

Um fim-de-semana H2O

Quando não tenho jogos ao fim-de-semana parece que o tempo vai esticar, mas na realidade é sempre o mesmo! Arranjam-se logo mil e uma tarefas para fazer e dois dias de suposto descanso passam a voar.
Sábado
Serralves em Festa - 40h Non Stop: só choveu enquanto lá estive. Passei pelos jardins. Ouvi uns minutos de jazz (enquanto me abrigava da chuva debaixo de uma árvore). Vi morcegos e larvas (num atelier para crianças, enquanto me abrigava da chuva). Tirei uma foto no Retrato de Família. Cumprimentei um casal com dois vasos enfiados na cabeça. Para afogar as mágoas, uma ida à Boulangerie de Paris na Foz e à pizzaria para um jantar entre amigos. Bons amigos.
Domingo
Colocação de mais uma parte do tapa vistas no jardim: começa a chover a potes quando estamos no início da colocação. E já não dá para voltar atrás. Why? São Pedro acha que que eu não tomo banho?
E pronto, o meu fim-de-semana baseou-se em sair à rua apenas nos poucos minutos em que esteve a chover. Vá, consegui dar uma corrida e um passeio na marginal com um sol radiante. Mas soube a pouco!

28 de maio de 2011

Cream&Blue

Sexta-feira descontraída, com a blusa da Primark. Fresquinha e colorida.


25 de maio de 2011

Piu Piu Amarelo - A despedida

A história do Piu Piu Amarelo foi sol de pouca dura. Entretanto, eu, preocupada com o meio ambiente e os animaizinhos, decidi investigar na net o que poderia fazer pelo Piu Piu. Parece que a GNR tem uma área de actuação no ambiente, denominado de Serviço de Protecção da Natureza. Ora, toca a enviar mail com a foto do Piu Piu a pedir apoio e orientação. E ao contrário de muito outros serviços públicos, recebi rapidamente uma resposta e um telefonema. Pelos vistos a GNR já estava à minha porta e eu...a trabalhar. Conclusão: combinei uma hora com a GNR para caçar o Piu Piu e levá-lo para um centro de recuperação de aves selvagens. Sim, eu sei que devia ter sido o gozo do dia lá do comando, mas o mais importante era salvar o Piu Piu.
Cheguei a casa e fui logo verificar se o Piu Piu ainda não se tinha ido embora. Confirmei. Ele estava ali, parado e inconformado. Virei costas e puffff, quando olhei já não havia Piu Piu. Tinha conseguido voar até cima do muro do jardim, mas ainda batia nos vidros do tapa-vistas quando tentava escapar. Era o que faltava, agora que faltam 3 minutos para a GNR chegar e ele fugia. Mas não, ficou ali a bater asinhas e sem sair do lugar. Decidi aproximar-me um pouco e flac flac flac flac, o Piu Piu voou e voou até uma árvore que já fica fora do meu jardim. Primeira reacção: correr para dentro de casa, pegar no telemóvel e ligar ao senhor agente da autoridade a explicar o que tinha acontecido. Os vários momentos silenciosos durante a chamada podem ser traduzidos como muito riso do agente, mas pronto, assunto resolvido.
Se calhar o Piu Piu tinha cadastro e não queria ser capturado.
Agora o que eu pagava para ver, era o que as cuscas das minhas vizinhas devem ter pensado quando viram a GNR à minha porta (da primeira vez que cá estiveram).

Abram os olhinhos e aprendam

Perna de Pau, o gelado da Olá que agora dá prémios. Como é dos meus preferidos, comprei um e joguei. Basicamente, apresentam-nos um cartão com muitos furinhos e nós picamos um. Mediante a cor que nos calha temos direito ao respectivo prémio. No meu primeiro furinho calhou a cor azul. Bibó Porto. Toma lá umas pulseiras com formas de animais! Fiquei chateada. Eu queria era o prémio que dava um Perna de Pau grátis.
Passaram uns dias e eu fui lanchar com umas amigas a uma confeitaria onde o cartão de prémios já estava praticamente todo picado. Primeiro pensamento: "Olha, neste cartão também é azul no furinho onde eu piquei há uns tempos". Segundo pensamento: "Deixa cá decorar onde estão os pontos vermelhos" (que dão direito ao gelado de borla). Terceiro pensamento: "Quando me apetecerem dois gelados (um deles à borla), já sei onde picar". E vivi durante umas semanas com a teoria de que os cartões de prémios da Olá eram iguais em todos os sítios.
Hoje foi dia de colocar o meu pensamento lógico em prática. No mesmo sítio onde me saíram as pulseiras voltei a comprar um gelado, Perna de Pau claro está. Fui direitinha a um dos furos que decorei como sendo vermelho.......e toma lá um Perna de Pau grátis. Hooray!
Amanhã, volto a comer o geladinho perneta, mas desta vez não é necessário tirar moedas. As senhoras do bar onde trabalho não se esquecem de mim!

E para quem quiser seguir a minha teoria por esse Portugal fora, quando for comprar um Perna de Pau, é furar a segunda bolinha a contar da esquerda, na segunda linha do cartão a contar de cima. Depois digam coisas! Se der resultado, eu divulgo a outra bolinha vermelha.

Piu Piu Amarelo

Desde ontem que temos uma visita lá em casa. Um passarinho. Calminho. Tímido. Pensativo. Pensei que estivesse preso ao decke, mas quando me aproximei dele, deu às asinhas e voou baixinho, muito baixinho, até à relva. Não sei se está ferido ou se não sabe voar. Não sou muito afectiva com animais, quanto mais longe melhor, mas fiquei com o coração mole e decidi colocar-lhe água e uma bolacha moída. Mas ele não bebe nem come. Os pássaros comem bolachas? E agora não sei o que fazer. Não quero que ele morra no meu jardim!





Será que ele não tem amiguinhos que o venham buscar? Já estou a imaginar dois passarinhos a segurá-lo pelas asas e a levá-lo para casa. Ou como diz o meu marido: "É isso mesmo, vêm já dois passarinhos com uma maca e outro num carrinho para o salvar!".



Ontem ao final da noite, depois de mais um treino a suar que nem um chuveiro, sentei-me a fazer-lhe companhia, mas ele ainda não me disse o que se passava. É mesmo muito tímido.

Estava-se tão bem que tive que comer uma bomboca de côco.

Será que teremos cenas do próximo capítulo? Até já tem nome: é o Piu Piu Amarelo (Piu Piu do pai e amarelo da Mãe).

23 de maio de 2011

O ballet é duro

Hoje foi dia de levar as novas bailarinas a passear. Pretty, pretty, pretty....e que ainda aleijam os meus dedinhos. C'um caneco! Vou dar-lhes mais duas oportunidades.
Mas tal como no ballet, por detrás da beleza dos movimentos está sempre o sofrimento e o trabalho árduo. Lembro-me que quando era pequena gostava de ter ido para o ballet. Uns anos mais tarde, quando estava nas aulas de música, uma amiga que frequentava as aulas de ballet mostrou-me as feridas nos pés resultantes das pontas em gesso. Pensei 2 vezes e dediquei-me a outros desportos colectivos.





Afinal eu não sou vesga

Há uns dias atrás, como todos os dias à hora de almoço, saio do metro e a caminho de casa vou sempre comprar 2/4 pães (depende do estado de espírito) ao Pão Quente - Confeitaria - Café - Snack-Bar lá da zona. Antes de entrar, quando ia no trajecto entre a estação e o pão quente, certifiquei-me que tirava o dinheiro necessário, mas como não tinha ao certo peguei numa moeda de 1€. Após o pedido e o pagamento, o rapaz deu-me troco de 0,50€. Estava quase a sair e voltei para trás a perguntar se não lhe tinha dado uma moeda de 1€. Ele disse que lhe entreguei uma moeda de 0,50€. Como eu coloquei os óculos de sol (graduados) na cabeça e não me apeteceu tirar os óculos de ver (bem e nítido), fiquei na dúvida, mas continuei o meu caminho, sempre a pensar em nomes para dar ao rapaz. Que ladrãozinho que me tinha saído! Já não queria mais os croissants maravilhosos ou os brigadeiros gigantes. E ia lá buscar pão porque era o local mais perto para o tempo que tenho ao almoço.
Hoje, encontrei-o novamente e ele vem dizer-me que afinal eu lhe tinha dado uma moeda de 1€. Conclusão: não paguei e ainda touxe troco.
Acho que vi lá uns brigadeiros com muito bom apecto e que ficam mesmo a caminho de casa (a 2 minutos da estação e a 30 segundos de casa). Bolas, mais valia continuar a pensar que me tinham aldrabado!

22 de maio de 2011

Coisas supimpas que foram parar à cozinha

Sempre que olho para todas as divisões de minha casa ainda vejo muito por fazer. O essencial está quase e as mudanças já tiveram piores dias, mas ainda faltam aqueles apontamentos que dão a personalidade ao lar doce lar. Aos pouquinhos as coisas vão-se compondo, mas ainda há muito trabalho pela frente.
Uma caixinha de biscoitos oferecida pela S. e que se transformou numa caixinha de chá.


O livro de receitas onde já se instalaram receitas de bolos, claro!


Apesar de ser um caixote do lixo, tem carisma.


Primark, porquê?

Aos poucos e bons leitores que de vez em quando vêm aqui queria pedir uma coisinha: não me deixem voltar à Primark do Parque Nascente (Gondomar - Porto). É que já nem é pelo ar de feira que lá se instala, ou o calçado que só tem números a partir dos 40, ou até por raramente encontrar coisas de jeito. É mesmo pelo ambiente de gente sem modos, que fala aos berros, que anda como se estivessem sozinhos na loja e ainda atropelam quem está calmamente a ver qualquer coisa. Irra, não sabem sair à rua?
Apesar de sair de lá como se tivesse ido à estação de S. Bento em hora de ponta, ainda consegui trazer umas pechinchas. Desta vez meti na cabeça que não ia pagar 1€ em pórticos para vir de mãos a abanar, pelo que fiz um esforço enorme para ignorar todos os acéfalos que passaram dentro do meu espaço de circulação. Não foi fácil!


T-shirt azulão, calças azul clarinhas e cinto camel.





19 de maio de 2011

O FCP a meus pés

Este clube habituou-nos muito mal...sempre a ganhar!!!!




18 de maio de 2011

Color blocking

E muito antes de aparecer esta nova tendência, adorada por alguns e odiada por outros, já eu dava os primeiros passos!



17 de maio de 2011

Se queres ganhar, tens que jogar

Hoje é daqueles dias em que largava tudo e ia conhecer o mundo! Não sei se é do tempo cinzento, se é do cansaço ou destes surtos não-quero-trabalhar-mais-na-vida que tenho de vez em quando. Estes dias fazem-me pensar no que realmente vale a pena e o quanto a vida é minúscula. E fico logo a imaginar-me a olhar para a tv e a ter um pequeno colapso! Depois vem o marido sobressaltado. Não sabe o que se está a passar. Recupero a consciência e digo-lhe "Já podemos viver, saiu-nos o euromilhões!". Isso é que era! Dizem que o dinheiro não é tudo, mas acho que com mais uns cifrõezitos as coisas seriam mais tranquilas. E claro que a solidariedade estaria nos meus planos, não fosse eu ser castigada por só querer tudo para mim.
Olha para mim na noite madrilena. E olha agora eu a passear nos Champs-Élysées. Ai que bom que se está em Times Square. Hiiiiiii, Londres by night visto do London Eye. Gostas do meu biquini a refrescar-se nas Caraíbas? Arigato, estava tudo delicioso.
Pimbassssss. Pum-trás-pás-pim-tom-pum!!! Caí lá do alto e vou ali ver se tenho 2€ para jogar no euromilhões. Não custa tentar a sorte.


Traveling
Estou a preparar a mala.





16 de maio de 2011

FMI no seu melhor

E para dar o exemplo aos portugueses, o director do FMI corta nas despesas pessoais e "exige" sexo à borla à empregada do hotel nova-iorquino onde estava hospedado!
Afinal, não é só Portugal que está em crise.

Futre no seu melhor

"Eu attack, no defence."

11 de maio de 2011

I'm scared

Já não é a primeira vez que uma colega de trabalho cinquentona ameaça tirar a roupa porque está com calor!

10 de maio de 2011

Supimlook

Ando de olho nas calças esverdeadas da Mango. Antes de passar na loja para as experimentar, estou numa de ver a melhor forma de as usar no caso de as trazer para casa. Ou as calças dão para várias ocasiões ou não vale a pena o investimento. Ahhh, e já agora, convém que me fiquem bem!


Supimlook 2
Work





Supimlook1
Colour
 
 
 
 
 
 
Supimlook 3
Casual
 
 
 
 

9 de maio de 2011

Fun&Delicious

Gosto e recomendo. Não arrasa com o gloss da Clinique ou da Clarins, mas dá jeito tê-lo na mala. Tem sabor a cereja que até apetece comer, fica muito em conta no orçamento familiar e ainda dá brilho. Se eu tivesse comissão na publicidade à Labello ainda conseguia arranjar mais uns adjectivos, mas como não é o caso ficamos por aqui.




Ainda a comemorar o aniversário

O meu aniversário já lá vai há quase 2 meses e ainda continuo a receber presentinhos. Não me importo nada de os receber "fora de horas". Adorei. Adorei. Adorei. Receitas de cupcakes que vão dar que falar. O gloss fofo da Clinique. O meu creme de manga preferido. Que mais poderia eu pedir?...



...podia pedir muita coisa. Mas mesmo sem pedir, tenho amigas fantásticas! Tão fantásticas que no momento de dar aquilo que compraram por engano ou por impulso me oferecem de boa vontade. A saia da R. e o corrector de olheiras da A.
Se nunca disse isto, assumo aqui perante todos: "Adoro as minhas amigas".

7 de maio de 2011

Efe Erre A

Estou prestes a desligar o pc para o meu sono de beleza e ouço uma música lá fora. Ainda pensei que fosse o vizinho tunning que mora aqui na rua, mas definitavente esta não é a sinfonia psicadélica que ele costuma ouvir no carro. Descobri. É o som dos concertos da Queima trazido pelo vento. Sim,  porque eu não moro assim tão perto para ouvir estes decibeis todos! Até parece que ouço a rapariga da fila da frente a gritar "Quero ter um filho teu".  Já lá vão os tempos em que como não havia aulas durante esta semana de festa, podíamos ficar até tarde no queimódromo a comer pães com chouriço e panikes. Pelo menos os shots eram à pala, com a super táctica que umas amigas me ensinaram.
1º passo - pedir sempre nas barraquinhas com mais gente. Quanto mais confusão, melhor.
2º passo - pedir o n.º de shots exactos. Se somos 10, pedimos 10. Não podemos dar nas vistas.
3º passo - assim que o os copos vão ficando cheios é começar a distribuir. Ninguém pode ficar sem copo.
4º passo - quando a última pessoa tiver o copo na mão, utilizar a seguinte frase "é só mais um shot que chegou mais uma pessoa".
5º passo - assim que o "barman" se vira para pegar noutro copo, nós já desaparecemos. Pufff!
Experimentem e vão ver que dá resultado.

4 de maio de 2011

Oh sugar, sugar

Agora que comprámos uma batedeira mais cara que o aspirador, vamos ter que nos dedicar aos doces. Hooray! Aceitam-se receitas!

3 de maio de 2011

Desportos que estão na minha Lista Negra

Lição: não colidir com outras pranchas debaixo de ondas grandes.


Lição: ir mais devagar em ruas movimentadas e com inclinação descendente.




Snif snif

Isto foi mesmo sério. Vou passar a manhã de perna esticada e saco de ervilhas. 30 minutos no joelho, 30 minutos na canela, 30 minutos no joelho, 30 minutos na canela.....
Objectivo: conseguir andar decentemente e ir trabalhar da parte da tarde!

2 de maio de 2011

Bicycle Off

Segunda-feira. Dia de faltar ao treino e fazer exercício ao ar livre. Hoje decidimos ir de bicicleta até à marginal. Má escolha. Encostei a roda num pseudo-passeio, fiz um zigue-zague na esperança de me equilibrar, inverti a marcha e pumba, redonda no chão. Bicicleta em cima de mim, marido a retirar-me do meio da rua e um senhor que passava e viu tudo foi a correr ao café mais próximo para me trazer gelo. Por momentos senti as pernas fracas, quase que a quererem sair do corpo, mas depois de uma bela risada fiquei melhor. Ainda fomos até ao destino, mas viemos logo embora que a coisa não é para brincadeiras. Conclusão: canela pisada, joelho com um grande papo, coxa, cotovelo e ombro arranhados e esfolados. Acho que a cada minuto que passa descubro uma parte do corpo que me dói.