25 de maio de 2011

Piu Piu Amarelo

Desde ontem que temos uma visita lá em casa. Um passarinho. Calminho. Tímido. Pensativo. Pensei que estivesse preso ao decke, mas quando me aproximei dele, deu às asinhas e voou baixinho, muito baixinho, até à relva. Não sei se está ferido ou se não sabe voar. Não sou muito afectiva com animais, quanto mais longe melhor, mas fiquei com o coração mole e decidi colocar-lhe água e uma bolacha moída. Mas ele não bebe nem come. Os pássaros comem bolachas? E agora não sei o que fazer. Não quero que ele morra no meu jardim!





Será que ele não tem amiguinhos que o venham buscar? Já estou a imaginar dois passarinhos a segurá-lo pelas asas e a levá-lo para casa. Ou como diz o meu marido: "É isso mesmo, vêm já dois passarinhos com uma maca e outro num carrinho para o salvar!".



Ontem ao final da noite, depois de mais um treino a suar que nem um chuveiro, sentei-me a fazer-lhe companhia, mas ele ainda não me disse o que se passava. É mesmo muito tímido.

Estava-se tão bem que tive que comer uma bomboca de côco.

Será que teremos cenas do próximo capítulo? Até já tem nome: é o Piu Piu Amarelo (Piu Piu do pai e amarelo da Mãe).

Sem comentários:

Enviar um comentário