25 de fevereiro de 2012

Outros tempos?!

Ontem, em conversa com a F., falávamos da nossa infância e adolescência. Tirando o ficarmos em casa sem os pais ou o ligarmos para núrmeros da lista telefónica e perguntarmos "É da casa do Sr. Coelho?" - "Não!" diziam do outro lado - "Ai desculpe, enganei-me na toca!....hihihih" (pai, quando leres isto não te preocupes, eu só liguei lá de casa umas 3/4 vezes), também tínhamos os nossos devaneios culinários. Qual Masterchefs Júniores, qual prodígios da cozinha. A F., que detesta  todos os alimentos que possam ter um grãozinho de côco, aventurava-se a fazer brigadeiros com...côco!!!!! Afinal de contas era a receita que ela tinha e seguiu-a à risca! Eu e os meus irmãos fazímos crepes: banana com açucar e canela e, quando queríamos com sabor a chocolate, juntávamos o belo do Neskuik. Quando não estava a mamã para preparar o lanche, comíamos tudo oq ue fosse mais doce: crepes, gemadas, bolacha maria com marmelada e afins!
Os meus irmãos costumavam pregar partidas aos meus pais, sobretudo à minha mãe, que fugia deles quando tinham uma lagarta na mão. Ou então decidiam que queriam brincar com o mesmo carro (no meio de 50 semelhantes) e pegavam-se logo à porrada. Sempre tivemos a sorte de ter muito espaço exterior onde brincar, onde os meus irmãos enterravam brinquedos no quintal, entravam nas casinhas dos coelhos e comiam cenouras com eles e empoleiravam-se em árvores. E ainda tivemos tempo para desgraçar uma garniza da minha bisavó (demos-lhe skip a pensar que era comida de animal). Quando chovia jogávamos "hóquei" no corredor. Era simples, bastava uma bola com meias e 3 guarda-chuvas com a pega para baixo. Depois de partirmos o candeeiro e mudámos de desporto.
Hoje em dia, estas e muitas outras coisas seriam logo alvo de uma ida ao psicólogo para muitos pais. Muitas crianças passam horas nas consolas ou a ver os Morangos com Açucar. É mais fácil para os pais. Os filhos estão no seu cantinho e não sujam a roupa a jogar futebol ou a brincar na terra. Como ouvi uma vez, estamos na Era em que é mais fácil a mãe ligar da cozinha para o filho que está no quarto a perguntar o que quer lanchar. Ou então ter dois irmãos frente a frente, cada um com o seu computador, a falar por chat!
Às vezes penso que não passou tanto tempo assim para as coisas mudarem bastante. Dou por mim a utilizar a célebre frase de um anúncio "Eu sou do tempo em que....".

2 comentários:

  1. eh eh também fazia essa do coelho!

    ResponderEliminar
  2. Meus Deus... Era mesmo assim... Brincar na rua com os vizinhos, esmurrar os joelhos, voltar quando a noita caia, comer escaravelhos (bem o que não mata engorda!!!).
    Faz-me pensar que as crianças de hoje não vão aproveitar a infância e que cada vez querem cresces mais depressa. Recordações...

    ResponderEliminar