10 de fevereiro de 2014

A chuva e o vento em black&white

Chegou o dia Black&White. E para vos saciar a curiosidade, o evento foi de cariz religioso. Trata-se de uma festa com muitos anos e muita história, na qual pessoas de todo o lado vêm cumprir promessas. Há um grupo de pessoas responsável pela organização da festa e, em cada ano, convidam um casal a ser juíz da festa. Pois é aqui que eu entro. Este ano, eu e o maridão fomos os juízes, o que acarreta uma certa responsabilidade. Temos como papel o enfeite dos dois andores que saem com a procissão e depois durante a cerimónia religiosa também temos um certo destaque.
Dizem os antigos que em 38 anos a procissão saiu sempre, com os andores, os estandartes, a banda e todas as pessoas que dela fazem parte. Ninguém acreditava que este domingo a chuva não desse tréguas, mas o que é certo é que ela caía certinha e acompanhada de vento. Depois de muito se equacionar, a procissão saiu. Ficaram os estandartes, ficaram os andores (que foram mais tarde), a banda esperou no local de chegada, o trânsito não precisou de ser cortado e não foi necessário ocupar as duas faixas da estrada. Nós, como juízes, acompanhámos o pároco, os escuteiros, os representantes políticos e algumas pessoas que tinham como promessa ir atrás da procissão. A cerimónia não foi campal e realizou-se dentro da capelinha. E foi muito bonita. Apesar do mau tempo, o dia correu bem. Podia ter sido diferente, com toda a pompa e circunstância que caracteriza a festa, mas o que importa é que realizou-se como foi possível para um dia de inverno, cheio de alertas laranja e vermelhos.
Como podem reparar, não podia descurar o meu modelito, mas dado o cariz da festa e as condições meteorológicas tinha que optar por algo sóbrio e muito confortável. Assim que percebi que tinha muitas hipóteses de enfrentar mau tempo, decidi que iria levar botas. E para dar um toque diferente e não ir com casaco pelo joelho optei por levar a minha capa. O resto foi encontrar um vestido branco sem roda e muito simples e o lenço ajudou-me a ficar mais aconchegada e a ter algum padrão. Espero que gostem!




E como conclusão desta minha experiência, um bocadinho diferente do que costumo escrever, deixo-vos com o que mais gostei de ouvir do bispo que presidiu a cerimónia. É muito mais importante termos o sol, a boa disposição, a alegria e o positivismo dentro nós, pois mesmo que esteja muita chuva e vento lá fora, o dia irá correr muito melhor!

3 comentários:

  1. O modelo estava magnifico para a ocasião.
    Quanto às palavras do Bispo, não poderia estar mais de acordo, na nossa mão está o ambiente e a alegria que podemos ou não querer ter e proporcionar...
    Bjs,
    MJ

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito do modelito! Sábias as palavras do bispo!

    ResponderEliminar
  3. Estavas super gira! Parabéns!

    ResponderEliminar