31 de março de 2015

A fazer pendant

Quase todos nós, em algum momento da nossa vida não resistimos a fazer um pendant. Mais as mulheres talvez!!! Pode ter sido a pôr a mesa para um almoço especial, na compra das almofadas para o sofá, em detalhes do nosso casamento, sei lá....até em coisas tão banais que nem damos por ela.
Ultimamente temos visto cada vez mais o machty-matchy na hora de vestir, quer seja entre mães/pais e filhos, como entre irmãos. Esta última a minha mãe já fazia comigo e com os meus irmãos e houve uma época em que eu não achava nenhuma piada, mas hoje gosto de ver. Não faz o meu género ver todos vestidos de igual, mas com peças diferentes e do mesmo padrão ou com tonalidades que se complementam já faz o meu género.
Costumo ver este esforço por parte de muitas marcas que apenas existem online ou então de lojas com preços mais puxadotes. E por isso é com satisfação que vejo este conceito começar a entrar nas coleções de marcas mais acessíveis, como é o caso da H&M e da Zippy.
Quem também é fã do pendant?!

H&M

Zippy

30 de março de 2015

Desfraldar e não complicar

O desfralde, esse bicho de sete cabeças....ou talvez não!
Não vou falar em teorias, porque essas há muitas e nem todas se adaptam aos nossos filhos. Às vezes pode ser difícil encontrar a ideal, mas se encontrarmos as coisas podem ser mais fáceis do que pensamos.
Há quase um ano atrás já tinha pesquisado sobre este tema, altura em que também tentámos o desfralde do Baby Boy. Achámos que ele (e nós também, confesso) ainda não estávamos preparados e decidimos adiar. Esta ano, com o Baby Boy no infantário, achámos que poderia ser mais fácil. Há duas semanas atrás, no final do dia, a educadora disse que tinham começado o desfralde na sala. Assim, zás-trás, sem pré-aviso. Andaram a treiná-lo no pote e ele já se mostrava motivado a sentar-se. Achei estranho ser assim sem mais nem menos, mas já que o tinham começado não íamos travar em casa. Foi uma questão de aumentar o stock de cuecas, meias e calças de fato de treino (que é como o Baby Boy anda durante a semana). O primeiro dia foi para esquecer e eu, não sei se foi destas hormonas descompensadas da gravidez, fiquei sem grandes esperanças.
Mas no segundo dia, convenci-me que ia custar, que ia precisar de muita paciência, de muitas macacadas, mas que não ia desistir assim tão facilmente. Assim que cheguei a casa com ele, decidi que ia ter que o sentar no pote (coisa que ele recusava desde sempre). Levei os carros para fazer xixi, as ferramentas para consertar os que estavam estragados e ainda esferovite que veio com uns artigos de festa que tinha comprado. Ele lá se sentou.....e começou a festa. Carros a falar, acidentes e muiiiiiiiiita neve (bolinhas de esferovite) a cair na casa de banho de serviço (se tivéssemos visitas ia ser bonito). Foi uma alegria e eu nem sei onde fui buscar tanta energia. E ele fez xixi. Mais festa! Olé, olé, olé, olé, olé e o Vicente é que é!!!! Muitos beijinhos...."boa filho, és um menino grande e forte como o homem aranha". E ele todo contente (tão contente que minutos depois viu-me na casa de banho e veio dar-me beijinhos e dizer "mamã, conseguiste fazer xixi"...eheheheh). Depois de tudo isto parecia que tinha sido atropelada por um camião. Só pensava "oh não, isto agora vai ser sempre assim......"
No terceiro dia optei pela estratégia da bolachinha (um obrigada à minha amiga R. que me deu a dica). Bolachinhas do zoo para os meninos que vão ao pote...e resulta! E foi assim durante vários dias. Claro que com alguns deslizes pelo meio, mas cada vez menos. Na primeira semana, o Baby Boy não pedia para ir ao pote, pelo que o íamos colocando em determinadas alturas (quando chegamos a casa, antes do jantar, antes de ir para a cama, assim que se levanta de manhã...) ele faz ou então diz que o xixi está a dormir. A parte sólida desta fase não foi muito pacífica, pois ele só conseguia fazer na cueca e recusava-se a ir ao pote.....até ontem, em que não sujou roupa e fez como deve ser :))))
Nas sestas já não usa fralda e a próxima etapa é tirar a fralda à noite. Tudo a seu tempo. Para já, vai no 5º dia com a fralda seca de manhã, o que poderá ser um bom indício. Não posso pensar que não haverá mais deslizes e convém andar sempre prevenida, mas até ao momento está tudo bem encaminhado.
Fica aqui o cenário de circo do primeiro xixi no pote (de casa) do Baby Boy. Não é uma coisa bonita de se mostrar, mas é um marco importante no seu crescimento e independência e queria deixá-lo aqui registado!



28 de março de 2015

Um novo mundo em cor de rosa

É isso mesmo, vem aí uma menina! Para ser sincera não fiquei muiiiiito mais contente do que se fosse outro menino. Fiquei super descansada quando na ecografia morfológica disseram que estava tudo bem. A parte em que se ouviu "é uma princesa" foi um extra ao que estava a sentir. Antes de ser mãe adorava ter uma menina. Quando fiquei grávida do Baby Boy só queria que corresse tudo bem e nascesse um bebé saudável. Desta vez, que também já estou habituada ao mundo dos meninos, nunca ficaria desiludida se fosse outro boy. O mais importante é saber que tudo corre bem e o facto de ser uma menina dá apenas uma pequena dose de felicidade extra, pois é um mundo novo e diferente que podemos experenciar.
Uma vez que já tenho muitas coisas do Baby Boy, não vamos precisar investir tanto, até mesmo em roupa. O nascimento está previsto para julho, um mês depois do Baby Boy completar 3 anos, pelo que interiores, pijamas e até mesmo alguns fatinhos de malha e fofos que estão guardados vão dar perfeitamente. É uma questão de adaptar os modelitos que já tenho, por exemplo com um body de folhos ou um casaco de menina (sim, existem diferenças entre casacos de menina e menino). 
Óbvio que vou comprar roupa nova, pois vai ser difícil ver vestidos e fofos com tapa fraldas amorosos e não comprar nem um! Apesar do rosa ser "a" cor de menina não quero ser uma pink addicted. Vou tentar optar pelo branco, cinza, azul e verde água, que são cores que adoro e que também ficam bem.
Com o Baby Boy acho que fui um pouco desleixada. Foquei-me nos babygrows (mesmo com a minha mãe a dizer que o neto andava sempre vestido de pijama) e só comecei a comprar roupa mais gira um mês depois. Era mais prático e mãe de primeira viagem como eu queria era a vida facilitada ao máximo. Mas agora vai ser diferente!
Para assinalar a primeira peça para esta Baby Girl, um gorro com umas orelhinhas engraçadas. Em rosa, claro, e talvez das únicas peças desta cor (depois a ver vamos se me privo tanto do rosa como estou a dizer agora...eheheh). O próximo passo é fazer uma "limpeza" ao roupeiro que era do Baby Boy recém-nascido e só depois é que me dedico a procurar algumas peças que eventualmente precise.
Ahhhh, e aviso desde já que quero fazer alguns pendants entre irmãos, pois também gosto dessas pirosadas :) Não todos os dias, que não vou ter tempo para isso, mas sobretudo para ocasiões especiais acho que ficam muito catitas.


Gorro Zara




27 de março de 2015

Wishlist da primavera

Só ouço falar do bom tempo que vai estar já na próxima semana. Sol, temperaturas altas, dias mais compridos (atenção, este fim de semana muda a hora) e a tão desejada primavera a chegar. É impossível ficar indiferente às novas coleções, com um estilo que eu tenho vindo a gostar cada vez mais. Na minha condição de grávida não quero investir muito em peças de pré-mamã ou em tamanhos acima do meu, pelo que não posso olhar para tudo aquilo que me desperta interesse. Mas também não quero ficar desmazelada só porque tenho a barriga a crescer e o corpo a modificar-se. Uma grávida também pode e deve manter o seu estilo, certo?! Vou estar atenta a vestidos compridos ou largos, kimonos, coletes, peças de baixo com elástico, acessórios e calçado raso mas com pinta. Já me comecei a apaixonar...........

1, 5 e 6 - Zara
2 e 4 - H&M
3 - Blanco
7, 8 e 10 - Mango
9 - Stradivarius
11 - Lefties

26 de março de 2015

Às vezes acho que me trocaram o filho

Não me refiro a quando eles nascem e, nem que seja levemente, nos assombra a possibilidade de nos trocarem o bebé no hospital/maternidade. É mesmo sobre esta fase que o Baby Boy está a passar, quase a chegar aos 3 anos!
Sempre foi um bebé fácil, calmo, comia e dormia! Deu noites muito boas nos primeiros meses e sempre foi super simpático. Para comer era um santo. Adorava tudo e tínhamos que engolir as refeições ou ele pedia até não ver mais nada no prato (no dele e no nosso).
Depois vieram as noites complicadas (até hoje!!!!!!!), as birras e a preferência por determinados alimentos. Entrou no infantário com 2 anos e muitas coisas que lá faz é o oposto em casa. Lá come a sopa toda, arruma os brinquedos e deixa que lhe coloquem gotas nos olhos e no nariz. Também deixou de querer partilhar as coisas dele e detesta ouvir um "não" (mas que remédio, algumas vezes tem que ser). 
Muito resumidamente, o meu filho está a crescer, a aprender, pelo que não posso esperar que ele fique parado no tempo, sempre bebézinho fofinho e bem comportadinho como no primeiro ano de vida. Muitas transformações da sua personalidade e dos seus comportamentos estão a moldar-se e a mudar. Faz parte! Atenção, nem tudo é coisas menos boas. Também é carinhoso, divertido, educado, simpático, expressa-se muito bem e está (quase) sempre pronto a ajudar..."deixa lá mãe, eu vou buscar"!

Agora o que eu não consigo perceber é como anda há meses a dizer que detesta cenouras e chega um dia a casa e diz que adora, que lhe faz muito bem e que quer mais. E eu lá o encharco de cenouras no guisado. Desde as férias de verão que se recusa a comer sopa em casa, apesar de nós comermos e insistirmos sempre, e de repente (ontem, precisamente), depois de jantar pede sopa, come e diz "que sopa maravilhosa"! Berra e esperneia-se sempre que lhe borrifamos água do mar no nariz e de repente vem-nos pedir para lhe colocar, sem reclamar e no final ainda diz "sou grande e forte e por isso não chorei". Faz sempre finca pé para ir tomar banho (apesar de não querer sair depois de estar dentro da banheira) e um dia chegou a casa e fez questão de tomar a iniciativa (até lhe lavei o cabelo sem choros e sufocos). 
Infelizmente, estas são situações esporádicas, pois no dia seguinte é capaz de voltar tuuuuuudo ao normal.
E é por amostras destas que às vezes acho que me trocaram o filho. Não há birras, só sorrisos. Não há berros, só miminhos. Não há más caras, só aquela voz fofa a pedir o que lhe faz bem. Ninguém insiste em fazer nada, tudo parece natural. E estes finais de tarde parecem irreais, de tão tranquilos que passam. Aiiiii, e como me sabem bem estas quebras na rotina, nem que seja com um filho que nem parece o meu.

My sweet little boy


24 de março de 2015

Uma escapadinha para esquecer

Assim que soube da existência do Hotel & Spa Alfândega da Fé fiquei com imensa vontade de lá ir experimentar. As paisagens que mostram no site conquistaram-me e comecei logo a imaginar-me a ler um livro com aquelas vistas ou simplesmente a contemplar a tranquilidade da serra.
O tempo foi passando, adiámos algumas vezes, até que este mês decidimos partir pelas estradas com curvas e contracurvas. Também fomos à procura das famosas amendoeiras em flor, um espetáculo da natureza por muitos elogiada.
As expectativas eram altas e o entusiasmo ainda maior. Nesta fase de gravidez e já com um filho (que dá noites complicadas), todo o descanso é bem vindo e muito apreciado. Uma escapadinha a dois é perfeito para fazer uma pausa, nem que seja de (quase) dois dias.
Infelizmente nem tudo correu como o esperado. Vimos poucas amendoeiras em flor e o trajecto que escolhemos para chegar ao hotel deve ter sido o mais tortuoso possível.
Assim que lá chegámos deparámos-nos com uma paisagem magnífica, um silêncio absoluto e uma paz inigualável. Pena estar frio e não podermos usufruir dos espaços exteriores. O jacuzzi localizado numa cabana "suspensa" tinha uma vista esplêndida, mas não utilizámos.
Depois deste início agradável deparámos com um quarto enorme e frio, com instalações antigas a precisar de remodelações, com um staff simpático mas desatento, um serviço de jantar demorado e um hotel que parecia ter parado no tempo. Faltam-lhe alguns toques de requinte e elegância (ou então fui eu que elevei demais a fasquia)!!!
O final do dia foi passado na piscina interior, que felizmente era grande o suficiente para as pessoas não se atropelarem.
No dia seguinte, o nevoeiro, o vento e o frio fizeram-nos sair logo após o pequeno-almoço e demos quase por terminado o nosso fim de semana a dois. Fiquei com imensa pena por não ter corrido como o esperado, mas mesmo assim deu para descansar, passear de mãos dadas, rir dos nossos disparates e sair um bocado da nossa rotina.
Uma sugestão que vos deixo (que eu costumo fazer e desta vez passou-me ao lado) é ler sempre os comentários aos hotéis para onde pensamos ir. No Booking ou no Tripadvisor é possível encontrar clientes com uma opinião sincera e real e que já nos dá uma noção do que podemos encontrar.
A próxima escapadinha certamente será melhor :)





23 de março de 2015

Big news

Quem me segue no instagram já deve ter reparado que vem aí mais um rebento. Não queríamos ter filho único, pelo que decidimos avançar agora. Eu gostava muito de ter 3 filhos, mas por enquanto 2 é o ideal e o panorama mais certo. Entre 2 a 3 anos de diferença era o que tínhamos pensado, pois não queríamos que tivessem muita diferença de idades.
Estou no sexto mês de gravidez e agora estou bem melhor. O primeiro trimestre foi muiiiiiiito diferente da gravidez do Baby Boy (gravidez santa), desta vez com enjoos, muita vontade de dormir e muitos desejos. Nunca pensei que fosse tão mau ter desejos. Se alguém me dizia que comeu um bacalhau com puré delicioso eu ficava a pensar nele até comer esse prato, sonhava com ele e acordava a pensar nele. Foi uma fase complicada, ainda por cima porque só me apetecia comer rissóis e folhados mistos, mas tinha que ser de uma confeitaria específica!!! A constipação que me apanhou de surpresa também foi horrível, com sinusite à mistura, que me provocou dor de gengivas/dentes. No dentista não havia nada a fazer porque estava tudo impecável com os dentes e os comprimidos de paracetamol que tomava quase não faziam efeito. Demorou a passar e depois fiquei outra vez cheia de genica, dentro do possível, claro!
Realmente as gravidezes nunca são iguais e eu não sou excepção. Quanto mais não seja porque agora há outra criança que precisa de mim. O meu dia de trabalho acaba e quando chego a casa começa outro dia, bem mais exigente. Com horários mais restritos, o exercício tem ficado um pouco de lado. Tento fazer umas caminhadas mas não com a frequência que gostava. Espero começar um plano mais coeso esta semana, porque preciso mesmo de me mexer mais (para além de nunca estar parada com o Baby Boy em casa). As noites também são o caos, pois tenho um filho que ainda não dorme direito, o que torna tudo ainda mais complicado. Vai-nos valendo o dia da semana em que ele dorme em casa dos avós para termos um pouco de tempo só para nós.....e uma noite inteira a dormir.
Tenho andado mais ansiosa, sempre à espera da próxima consulta e do próximo exame para ter a certeza que está tudo bem e que corre tudo dentro da normalidade. Já sabemos o sexo, mas isso fica para outro post!
Vou dando novidades :)


20 de março de 2015

Party time

Com a primavera espera-se que chegue o tempo mais solarengo, os dias mais compridos e as flores a despontar. E com toda esta nova energia aparecem também os convites para as festas, sejam casamentos, comunhões ou outras comemorações. Eu costumo ver primeiro o que tenho em casa e que possa reciclar, mas outras vezes também gosto de comprar alguma coisa nova. Já não tenho por hábito comprar tuuuuuudo o que preciso para compor o modelito, pois encontro sempre algum acessório em casa que serve para acompanhar um vestido novo ou compro calçado mais de festa para alguma peça de roupa que já tenha em casa.
Ao passar no site da Blanco deparei-me com algumas opções que me agradaram, sobretudo os modelos com as costas abertas. Simplesmente lindos e com valores bastante aceitáveis. Não é das lojas que costumo visitar com frequência, mas depois de ver um pouco da colecção tenho que ir dar uma espreitadela. Não concordam?





Imagens retiradas do site da Blanco

Ser mãe também é...

...rir à gargalhada (não pode ser só noites mal dormidas e birras)!
Como já devem ter reparado, o Baby Boy é louco por carros. Num destes dias estava com o pai, que lhe dizia "isto é o motor, isto são os pistões, isto é o radiador".......sem deixar o pai continuar a explicação de funcionamento de um carro, o Baby Boy diz muito entusiasmado "para ouvir múuuusica", afinal de contas, rádio e radiador são palavras muito parecidas :)

17 de março de 2015

Little bunny

Tudo o que não seja brincar às corridas de rally e salvamentos a carros com pneus furados é fazer coisas diferentes. E mesmo assim, o Baby Boy é capaz de inventar uma história que acaba com as peças de dominó em oficinas e acidentes aparatosos. No que diz respeito às pinturas confesso que acho uma atividade super engraçada, mas ao mesmo tempo bastante "perigosa", se é que me entendem! Já experimentamos umas tintas próprias para criança, com esponjas e tudo, e foi engraçado, apesar de nem sempre haver paciência e disponibilidade para montar o estaminé das pinturas rupestres. Mas quando vi este kit de pintura achei que era o ideal para ocupar o Baby Boy por uns minutos, sem grandes margens para deslizes pela casa. Ele já pediu mais! Comprei na loja Tiger, que tem sempre umas decorações e kits alusivos às épocas e festividades do ano. Neste momento abundam os artigos para a Páscoa e este coelhinho veio mesmo a calhar para as nossas primeiras decorações! Depois mostro o resultado.



16 de março de 2015

Coisas simples

Às vezes não é preciso um destino paradisíaco, um banquete de luxo ou esperar por uma ocasião especial. Muitas vezes é fácil viver a simplicidade. Mais fácil do que pensamos!
Com os dias mais solarengos (apesar de ainda frios) apetece cada vez mais passear ao ar livre. Este fim de semana decidimos que íamos sair de manhã com a marmita debaixo do braço para um piquenique na praia ou no parque. Massa, salsichas, ovo cozido, fruta, pão e água.....não é preciso grandes quantidades nem muita variedade. Chegámos à praia e tínhamos um areal quase exclusivo. O sol que batia nos pés aquecia e acabámos por ficar mesmo por ali a almoçar. Infelizmente o vento começou a sentir-se logo a seguir e só houve tempo para mais uns minutos de brincadeira. Cá pelo Norte é mesmo assim, quando menos se espera aparecem as ventanias.
No entanto, o tempo que estivemos na areia, a apreciar o azul, ouvir o mar e a brincar com o Baby Boy souberam muito bem, de tanta falta que já faziam. Gosto destes programas tão simples e fáceis de fazer. O melhor é mesmo aproveitar sempre que der, porque se formos esperar pelo tempo 100% ideal....poucos dias assim vamos gozar!






11 de março de 2015

Ser mãe também é...

...acordar a meio da noite com uma sensação estranha no pescoço! Quando despertei apercebi-me que era o Baby Boy a dormir em cima de mim (com a cabeça bem encaixadinha entre o meu queixo e o peito).............e a babar-se!!!!!!!

10 de março de 2015

Life colours

Fico sempre fascinada com as coleções da Lanidor. Assim que ficam disponíveis online dou por mim a vaguear no lookbook e a sonhar com as peça que usaria. É um estilo que me agrada e tem sempre uma grande variedade de cores e padrões. Diria até que dependendo da conjugação dos modelitos dá para estilos mais formais como para um ar mais boho e descontraído. No entanto, o preço de algumas peças travam um bocadinho o meu desejo de as comprar. Não digo que a qualidade não mereça o valor, mas quando há outras coisas em que pensar, as peças mais caras ficam para outros planos. E por isso mesmo é que fico sempre de olho nas promoções que fazem, sobretudo já em finais de temporada. Descontos como 60% ou 70% tornam as peças super acessíveis e muitas vezes tenho a sorte de ainda encontrar o meu número. E se não der para usar nesta estação, ficam guardadas para o próximo ano. Não sou uma escrava da moda e não me preocupa nada não andar com o último grito da temporada. Às vezes ter paciência e não querer tudo em primeira mão tem as suas vantagens, sobretudo na minha carteira. Quando tenho o orçamento mais à larga para estas coisas, se vir algo que goste e possa comprar, também não me privo de o fazer. É uma questão de prioridades!



Imagens retiradas da Lanidor

9 de março de 2015

Fim de semana ao contrário

Fim de semana fantástico, com temperaturas primaveris a convidar a longos passeios pelos jardins e praias. Tanta coisa programada para fazermos nestes dois dias de descanso. Passeios, festas de aniversário, caminhadas, concertos, jantaradas.......mas quase nada aconteceu.
Na sexta-feira à noite, quando reparei que o Baby Boy tinha uma afta (que depois fui a ver e eram duas....e das grandes), comecei logo a prever o sol a escapar-se. Noites mal dormidas, miúdo irritado, com pouca vontade de comer (a não ser que fossem gelados, mmmmmm), sestas agitadas, muito choro. Lá se foi a festa do amigo, praia e mar nem vê-los, descanso durante as sestas dele quase uma miragem.
Ainda conseguimos passear um bocadinho no parque com amigos e marcar presença no concerto que o marido tinha programado. O resto do tempo foi passado em casa, com muito mimo e algumas brincadeiras. Vale-nos ter um jardim onde podemos passar tempo "fora de casa"!
Estes dias solarengos são sem dúvida uma ótima recarga de energia, principalmente quando os dias anteriores foram de frio e chuva. Deu-me imensa vontade de começar a olhar para toda a roupa mais fresca, mas ainda não foi desta; começar a pensar nos almoços no jardim e, este ano, meter mãos à obra no cultivo de algumas ervas aromáticas e flores que alegrem a nossa casa.


4 de março de 2015

Ser mãe também é...

...ajudar o Baby Boy a escolher um carro para levar para a escolinha (quase todos os dias ele leva um carro diferente para mostrar e brincar com os amigos). Mas como estávamos com pressa, assim que vi o carro da polícia disse-lhe "Filho, leva o carro da polícia para prender os ladrões....assim que vires um dizes 'Estás preso, em nome da lei' (que é o que ele me diz quando me prende com as almofadas)".
E diz logo ele com voz firme e autoritária "Exatamente, senhora mamã Joana"!
Temos agente da autoridade?!?! :)

2 de março de 2015

My Super Chef

E da cozinha com crianças passamos para a cozinha do meu super chef. Como já tinha dito aqui há uns tempos, o meu marido frequentou vários workshops de culinária, sempre com a chef Lígia, no Club mastercook. Ele adora cozinhar, adaptar e inventar (às vezes até demais, mas faz parte....). No entanto, durante as correrias e rotinas da semana, raramente pega em tachos e panelas. À semana, as nossas refeições têm que ser rápidas e simples, já para não falar que a maior parte das vezes sou eu a cozinhar. Eu, uma destrambelhada na cozinha que gosto de simplificar ao máximo. Para mim, uma massa com molho de tomate gratinada no forno está excelente.
Quando o meu marido vai para a cozinha preparar alguma coisa é muito mais disciplinado, delicado e concentrado. Gosta de ter música ambiente e, de preferência, que ninguém se intrometa nas suas tarefas. Noto que nestas alturas ele descontrai e viaja para outro mundo. E como ficamos todos a ganhar.....decidi desafiá-lo: eu escolho uma receita para uma refeição do fim de semana e ele dedica-se a criar um prato saboroso :)
Ontem à noite a escolha recaiu sobre Bacalhau à Zé do Pipo e ficou muiiiito bom, apesar de precisar de uns pequenos (muito pequenos) ajustes. Nada como voltar a fazer mais vezes para aprimorar a técnica, que isto de ser chef de topo requer muita experiência.
Apesar da ocasião não ser de festa ou de comemoração, há alturas em que me apetece dar um toque diferente à mesa. Esquecer os guardanapos de papel, colocar copos altos, usar argolas de guardanapo muitas vezes esquecidas. Assim o final de domingo passa melhor e sem a "tristeza" de quem vai começar uma semana de trabalho!



Arroz de camarão
Risotto de camarão
Bacalhau à Zé do Pipo