26 de março de 2015

Às vezes acho que me trocaram o filho

Não me refiro a quando eles nascem e, nem que seja levemente, nos assombra a possibilidade de nos trocarem o bebé no hospital/maternidade. É mesmo sobre esta fase que o Baby Boy está a passar, quase a chegar aos 3 anos!
Sempre foi um bebé fácil, calmo, comia e dormia! Deu noites muito boas nos primeiros meses e sempre foi super simpático. Para comer era um santo. Adorava tudo e tínhamos que engolir as refeições ou ele pedia até não ver mais nada no prato (no dele e no nosso).
Depois vieram as noites complicadas (até hoje!!!!!!!), as birras e a preferência por determinados alimentos. Entrou no infantário com 2 anos e muitas coisas que lá faz é o oposto em casa. Lá come a sopa toda, arruma os brinquedos e deixa que lhe coloquem gotas nos olhos e no nariz. Também deixou de querer partilhar as coisas dele e detesta ouvir um "não" (mas que remédio, algumas vezes tem que ser). 
Muito resumidamente, o meu filho está a crescer, a aprender, pelo que não posso esperar que ele fique parado no tempo, sempre bebézinho fofinho e bem comportadinho como no primeiro ano de vida. Muitas transformações da sua personalidade e dos seus comportamentos estão a moldar-se e a mudar. Faz parte! Atenção, nem tudo é coisas menos boas. Também é carinhoso, divertido, educado, simpático, expressa-se muito bem e está (quase) sempre pronto a ajudar..."deixa lá mãe, eu vou buscar"!

Agora o que eu não consigo perceber é como anda há meses a dizer que detesta cenouras e chega um dia a casa e diz que adora, que lhe faz muito bem e que quer mais. E eu lá o encharco de cenouras no guisado. Desde as férias de verão que se recusa a comer sopa em casa, apesar de nós comermos e insistirmos sempre, e de repente (ontem, precisamente), depois de jantar pede sopa, come e diz "que sopa maravilhosa"! Berra e esperneia-se sempre que lhe borrifamos água do mar no nariz e de repente vem-nos pedir para lhe colocar, sem reclamar e no final ainda diz "sou grande e forte e por isso não chorei". Faz sempre finca pé para ir tomar banho (apesar de não querer sair depois de estar dentro da banheira) e um dia chegou a casa e fez questão de tomar a iniciativa (até lhe lavei o cabelo sem choros e sufocos). 
Infelizmente, estas são situações esporádicas, pois no dia seguinte é capaz de voltar tuuuuuudo ao normal.
E é por amostras destas que às vezes acho que me trocaram o filho. Não há birras, só sorrisos. Não há berros, só miminhos. Não há más caras, só aquela voz fofa a pedir o que lhe faz bem. Ninguém insiste em fazer nada, tudo parece natural. E estes finais de tarde parecem irreais, de tão tranquilos que passam. Aiiiii, e como me sabem bem estas quebras na rotina, nem que seja com um filho que nem parece o meu.

My sweet little boy


2 comentários:

  1. Que fotografia adorável! Bebe lindo de sua mãe, sem dúvida.
    E quanto às birras, temos mesmo de as aguentar e ir contornando... Fazem parte, como bem dizes!

    ResponderEliminar
  2. É mesmo da idade, e tudo serve para fazer birra! Cá em casa também, os finais de dia difíceis, não sinto que sejam ciúmes, acho que é mesmo da idade, embora claro, uma vez ou outra ela sente ali qualquer coisa parecido com isso.
    É mesmo a idade em que eles já se sentem super independentes, e que querem fazer tudo e sozinhos, e começam a perceber que podem escolher...
    É desgastante, mas é giro :) às vezes dá vontade de rir, outras de chorar!! :)
    beijinhos!!

    ResponderEliminar