27 de abril de 2015

Sobre rodas

Sempre que o tempo permite o Baby Boy sai com o seu veículo para uns passeios. Ao fim de semana há mais disponibilidade e paciência, mas mesmo durante a semana, antes do banho, costumámos dar "uma volta" ao lado de casa, nem que seja 10 minutos. Não é assim tantas vezes como gostaríamos, mas só nos faz bem apanhar um pouco de ar depois de um dia de trabalho. 
A bicicleta que lhe oferecemos pelo Natal já está mais equipada (buzina e luzes que o bubu lhe comprou) e ele começa a ganhar mais destreza no equilíbrio. Isto porque a bicicleta não tem pedais para isso mesmo, prepará-lo para o equilíbrio. Só ainda não o "convencemos" que não pode andar a provocar acidentes com as outras pessoas que andam a passear e até mesmo com outros ciclista (seja em bicicletas pequenas ou grandes), cães, skaters e por aí fora....Ele adora ir atrás das pessoas e chocar contra elas. Já para não falar quando pára, atira-se (lentamente) para o chão e depois começa a arranjar as rodas, porque teve um acidente devido a uma "avaria". E lá anda o pai a correr atrás dele para evitar o máximo de embates possíveis. E eu atrás, a rir-me sozinha dos comentários das pessoas que vão passando por ele. Na maioria das vezes riem-se da cara de mau e os sons (vrmmm, vrrmmmm) que ele faz quando vai a pilotar a sua bicicleta de rally (como lhe chama), outras vezes ficam a olhar porque não percebem a falta dos pedais e até acham graça e ainda há os miúdos que comentam "aquele menino não sabe andar de bicicleta (porque ele vai contra toda a gente, claro!).....mas também aquilo nem tem pedais....". É um fartote de risota!!!
Enfim, se algum dia encontrarem um miúdo assim na rua é provável que seja o meu filho. Peço desculpas desde já!




22 de abril de 2015

Vai começar a saga das roupinhas

Com a entrada no 3º trimestre de gravidez parece que o tempo começa a acelerar. Os 3 meses que faltam parecem estar longe, mas já sei que vão passar a voar. Como já temos muitas coisas que eram do Baby Boy andamos mais relaxados. Algumas coisas já estão montadas, outras é preciso adaptar outra vez e ainda temos algumas acessórios que emprestámos a amigos e que agora precisamos repescar. E o que parece pouco para fazer, de repente começa a ser um montão de tarefas que  não tem fim. Por esta razão já rascunhei uma lista e agora é colocar mãos à obra para depois não andar em correrias.
Também preciso tomar as rédeas às roupinhas. Já separei e selecionei o que era do Baby Boy e que, em princípio, vai servir perfeitamente para esta Baby Girl. Mas, tirando alguns fofos que posso considerar unisexo, os interiores e os pijamas, ainda há algumas coisas mais de menina que quero comprar. Uma vez que o parto está previsto para meados de Julho, estou com esperanças de fazer a maior parte das compras nos saldos. No entanto, quero tentar tratar das primeiras roupinhas agora para depois não haver muito stress (e porque a paciência também não vai ser a mesma).
Os mercaditos tão na moda são ótimos para ir ver as coleções de marcas que só vendem online, mas não sei se haverá algum para breve, por isso deixo essa pesquisa para peças que não sejam mesmo necessárias. Talvez para acessórios e pormenores que não consiga encontrar noutros locais.
E como para mim, sobretudo com a barriga a aumentar, os shoppings são bastante acessíveis a vários níveis, já andei a fazer algumas pesquisas nas lojas que costumo frequentar. Na época de saldos também gosto de espreitar a Knot, Benetton, Laranjinha, Neck&Neck e Natura Pura, onde os preços são mais elevados e as peças ficam bem mais simpáticas.

Gocco
(apesar da marca ter peças mais caras que outras lojas, sempre adorei os modelos e cores das colecções, pelo que aproveito as imensas promoções que vão fazendo para clientes....valem muiiiiito a pena!)

H&M

Zara

Zippy


Como já referi uma vez (ou talvez mais), neste segundo filho quero caprichar desde o primeiro dia, pois com o Baby Boy só via babygrows à frente e demorei a perceber que os fofos e os fatinhos de malha eram mais que válidos (até porque o babygrow é considerado o pijama dos bebés). E se para menino já encontrava peças super giras, então agora para menina nem se fala. 
Sempre ouvi falar nos cueiros para os primeiros dias de vida, mas nunca lhes achei muita piada. Mas desta vez, não sei bem porquê, acho que poderá ser uma boa opção. Ando a ver alguns e talvez me decida por experimentar.
Alguém usou nos filhos?! As pernas e os pés ficavam sem nada ou tinham meias-calça? Acharam prático?!

Em cima Gocco
Em baixo Knot

20 de abril de 2015

Ser mãe também é...

...ir com o Baby Boy a uma festa de aniversário num daqueles espaços de diversão com monitores, vê-lo a comer grandes colheradas de mousse de chocolate (e sem poder intervir muito porque os pais não entram, só vêem....), dizer "come devagar" e ele tirar outra grande colherada (senão ainda maior) e levar à boca muiiiiiiiiito lentamente!!!!!! Ele é que estava certo, eu não disse para comer pouco de cada vez!!!!!

19 de abril de 2015

E por falar em saudável...

...hoje foi dia de experimentar as papas de aveia. Pesquisei na internet e encontrei esta receita simples. Dupliquei a quantidade de ingredientes de forma a dar para os três e fiz algumas alterações: usei leite meio gordo (que é o que bebemos em casa), em vez de adoçante coloquei açúcar (1 colher de sopa para duas receitas) e no final, para além da canela em pó, juntei banana, pois achei que seria mais fácil para a primeira vez do Baby Boy.
Ficou aprovado! Ele gostou e nós também. No entanto, ainda quero experimentar o farelo de aveia, pois deve ficar ainda mais cremoso e fino. A partir daqui é pesquisar outras variações, para não ser sempre o mesmo. 
Já temos mais uma opção saudável nas nossas manhãs :)




15 de abril de 2015

Uma alimentação mais cuidada

No post anterior referi que andávamos a tentar comer de forma mais cuidada e saudável. Com a obstipação do Baby Boy e a sua (quase) total aversão aos legumes e algumas frutas, experimentar novos sabores tem sido uma luta diária. Apesar da indicação médica em caso SOS (uso de clisteres), vamos tentando resolver o problema com base na alimentação.
Comecei por investigar os alimentos a evitar e aqueles que devemos ingerir mais vezes nestas situações. Muitos deles já são praticamente do senso comum, mas aqui o objetivo é experimentar novas alternativas. E com isso temos vindo a apostar em refeições ainda mais saudáveis. Estamos a introduzir as massas integrais e as sementes no nosso dia a dia. E como em casa é rara a vez em que o Baby Boy come a sopa, tentámos colocar os legumes de outra forma no prato principal e também em sumos. Começámos este processo há pouco mais de uma semana, por isso ainda estamos em fase de experiências e adaptações, bem como à procura dos alimentos que podemos ir substituindo de forma gradual.

Deixo-vos alguns exemplos pessoais:
- Molho de tomate com espinafres. Bem raladinhos passam por orégãos e o sabor fica ótimo.
- Batidos de fruta que o Baby Boy ajuda a fazer, onde também incluo sementes de linhaça.  Quando as crianças entram no processo de preparação das refeições é mais fácil também quererem provar.
- Massa integral. Os preços são bem diferentes, mas se resultar, mais vale deixar o dinheiro no supermercado do que na farmácia.
- Não deixei de dar nestum, mas agora vou alternando com outros pequenos-almoços e, quando faço, coloco sementes de linhaça bem trituradas.
- O consumo de arroz está a ser reduzido.
- As bananas já não aparecem com tanta abundância no cesto da fruta. Apesar de todos adorarmos, pelo menos até o Baby Boy regularizar vai haver pouca quantidade.
- Ao fim de semana, com mais tempo, preparamos sumos de fruta com um ou dois legumes misturados.
- A próxima experiência será com as papas de aveia. Se der resultado será uma excelente opção para o pequeno-almoço.

Não somos de cortar de forma radical com as nossas rotinas, até porque não temos grandes vícios, nem temos hábitos alimentares desadequados e pouco saudáveis. Apenas estamos a tentar melhorar, sobretudo durante a semana. Depois no fim de semana há sempre espaço para um gelado nos dias de calor, um croissant partilhado depois de um passeio de bicicleta ou uma pizza num almoço de amigos. Tudo de forma moderada, mas sem deixar de comer o que gostamos. Para além disso, e como o Baby Boy ainda não pratica nenhum desporto de forma regular, sempre que podemos (mesmo que seja ao final de um dia de trabalho...e depois já sabemos que o banho e o jantar vão ser mais tarde do que o normal) vamos andar de bicicleta com ele e não o deixamos estar parado muito tempo no sofá (só mesmo quando dá muiiiiiiito jeito). É a nossa maneira de viver e o importante é cada um de nós arranjar o seu próprio equilíbrio!

Imagens retiradas do Pinterest

14 de abril de 2015

Ainda no desfralde

Já vos tinha contado aqui como se deu início ao desfralde do Baby Boy (quase a completar 3 anos). Não quero entrar em grandes euforias, mas foi tãoooo mais fácil do que estava a imaginar.
Em apenas 1 semana deixou de usar fralda nas sestas e começou a pedir para ir ao pote.
Uma semana depois também passou a fazer cocó no pote.
Dois dias a seguir deixou a fralda de noite. Foi engraçado quando numa noite estava a trocar as cuecas pela fralda e ele perguntou-me muito atrapalhado "mamã, fiz alguma coisa?!". Nesse dia percebi que ele poderia estar a ficar confuso e decidi tirar as fraldas de vez. Resultou!
Mas como o meu filho não é um supra sumo do desfralde, também vai tendo uns deslizes. Pouquíssimos é certo, mas distraiu-se na brincadeira e inundou a pista de carros ou então sonhou mais profundo e lá teve que se mudar a roupa de cama a meio da noite. Mesmo assim não me posso queixar, porque está a correr muito bem.
Outra coisa menos boa que associamos a esta fase é a obstipação. Acho que esta está a ser a parte mais complicada. Ele começou a fazer cocó de 3 em 3 dias, o que não é de todo aconselhado. O pediatra receitou uns clisteres, mas nós andamos a tentar evitar ao máximo. E com tudo isto temos apostado numa alimentação ainda mais cuidada. Considero que já tentávamos fazer uma alimentação saudável, mas agora estamos mais atentos e procuramos alternativas a alguns alimentos. Mas esta parte fica para outro post!
O desfralde vai continuar (sim, porque ainda há caminho a percorrer), com calma e respeitando os tempos do Baby Boy. Já sabemos que cada criança é única e não adianta querermos que o nosso filho aprenda as coisas logo à primeira e sem erros, porque errar também é importante e faz parte do crescimento....dele e nosso!

Imagem retirada do Pinterest

Ser mãe também é...

...brincar ao esconde-esconde.
Expliquei as regras. Primeiro esconde-se o carro e depois temos que dizer "está frio" para quando estivermos longe e "está quente" quando estivermos perto do esconderijo. Tudo a postos e lá fui eu esconder a carripana vermelha. Que comece a busca...."está muito frio"....." está frio"......."está morno"....."está a ficar quente".....e diz o Baby Boy "oh mamã, lá fora é que está chover, aqui dentro não está frio, nem está nublado"!!!!!!!!!! E com a ajuda do papá lá encontraram o carro.
Depois trocámos os papéis e o Baby Boy foi esconder outro carro. Pediu a minha ajuda e lá fomos esconder o seu jipe. Começou a busca e o papá ainda nem um passo tinha dado quando se ouve uma vozinha muito entusiasmada "papá, o carro está ali atrás da almofada, anda ver"!!!
Vamos deixar a brincadeira para outro dia e com a prática ele vai perceber :) O que interessa é que foi animado e divertimo-nos os três!

8 de abril de 2015

Febre tropical

Depois de tropeçar na nova coleção da Loja do Gato Preto com motivos tropicais (e com a ajudinha do sol maravilhoso que se fez sentir durante o fim de semana) fiquei com uma vontade enorme de entrar neste espírito verde, amarelo, laranja, azul, vermelho.....Só consigo imaginar algumas destas peças no meu jardim.

Loja do Gato Preto

E estes padrões tropicais também entram nas novas coleções de roupa e decoração. Acho que uma utilização q.b. (nada de exageros) dá um toque fresco e colorido.
E por aí, mais alguém a gostar desta tendência?!

Roupa de cama, jarro e copos, moldura e toalhas Zara Home
Toalha de cozinha pássaros H&M

T-shirts criança Zara
Vestido H&M
Macacão Women'Secret
Blusa e mala Blanco


7 de abril de 2015

Bem-vindos anónimos

Depois de receber um e-mail super querido de uma leitora anónima (que enviou-me mail precisamente porque não consegue comentar como anónima) decidi tornar o meu blog mais "acessível". Agora qualquer um pode comentar. No entanto, também alterei outras definições e os comentários passarão a ser moderados (quando eu conseguir que esta definição funcione corretamente).
Eu sei que somos pouquinhos, mas espero que os que me visitam continuem por aí. E não se esqueçam de dar também o vosso feedback, porque o que eu mais retiro desta "aventura" é a possibilidade de partilha.
Obrigada!

Vestir na gravidez

O tema do que se deve vestir na gravidez é mais que falado pela internet fora. Basta pesquisar e aparecem logo imensos links com dicas que podem ser bastante úteis. Muitas sugestões passam por tentar rentabilizar ao máximo o nosso roupeiro ou então, para fugir à "típica" roupa de grávida, comprar peças que podem facilmente adaptar-se às novas curvas. E eu, como provavelmente muitas grávidas por esse mundo fora, tento investir o mínimo em roupa específica de grávida.
Não tenho tendência para engordar muito, mas também sei que não vou ser uma grávida super elegante em que só se nota apenas a barriga no meio/final da gravidez. Há sempre um volumezinho extra que se ganha e eu sinto-o nas coxas (já para não falar na barriga, como é óbvio) e um pouco na cara. Sinto que a minha tarefa a vestir nesta fase não é nada fácil, mas vou tentando contornar o mais que posso e sem perder os estilos que mais gosto. Procuro também inspiração noutras bloggers que gosto.
As partes de cima são mais fáceis de encontrar, com blusas e túnicas fluídas ou então um básico (t-shirt ou top) com um kimono ou um colete que agora estão tão na moda. Os blazers também são bastante aconselhados, mas pessoalmente acho que prendem mais os movimentos, só mesmo se for para ocasiões de trabalho mais formais. Na altura do frio e chuva usei e abusei de casacos quentinhos e compridos, que ficavam bem com blusas leves.
Para baixo é que se torna mais complicado. Leggings é sempre uma boa opção e eu tento escolher sempre as que têm um acabamento tipo ganga. As que tenho com efeito pele já não as consigo usar, apesar de algumas insistências......chegava a meio do dia e já não aguentava, por isso arrumei-as de vez. As calças de ganga de grávida é a peça quase impossível de contornar. As minhas são da H&M e já as tenho desde a gravidez do Baby Boy. Continuam impecáveis. São muito confortáveis e dão para usar em muitas situações, sobretudo no dia-a-dia.
Os vestidos compridos e calções/saias com elástico na cintura também são bastante válidos. Eu prefiro os vestidos, pois os calções que tenho, apesar do elástico, não são tãoooo confortáveis e também não me apetece comprar vários tamanhos acima.
E ainda a aproveitar do meu roupeiro tenho os macacões. Tenho um que usei num casamento que ainda me serve na perfeição e tenho uns de verão que acho que me vão dar muito jeito em dias de mais calor.
O mais difícil para mim foram as meias-calça. As de grávida, para além de mais caras, não são muito confortáveis, mas não há muita volta a dar e também não há assim muitas opções. Para fugir às cinturas apertadas existem as meias com uma barra de silicone na coxa, mas isso já depende do gosto de cada uma.
Como não tenho fotografias giras de exterior, com a luz perfeita e com destaque para alguns pormenores dos modelitos, partilho com vocês as selfies que vou tirando no telemóvel e (algumas) colocando no instagram.

O macacão que usei no casamento e as leggings efeito pele que já foram arrumadas.

Calças de ganga de grávida com uma camisola de algodão que se ajusta perfeitamente à barriga (só não sei se depois da gravidez vai estar em condições de ser usada).

As leggings efeito ganga (um tamanho acima do meu, pois acho que depois ainda me vão servir).
O casaco comprido para dias mais frios e o kimono com uma blusa para o tempo mais primaveril.

Vestidos compridos, que nas fotos me fazem parecer um barril, mas que na realidade ficam bem, são leves e super confortáveis. Com um casaco giro por cima servem para um dia de trabalho.

Os calções que tanto procurei (nova coleção da H&M). Comprei o meu número, pelo que acho que não vão dar até ao final da gravidez, mas depois sei que me vão continuar a servir. O kimono dá um ar mais boho, como eu gosto cada vez mais.

6 de abril de 2015

Páscoa em imagens

Esta Páscoa foi como tantas outras, em família. Agora que o Baby Boy está mais crescido já é mais participativo nas tradições da família, como cozer ovos em casca de cebola, espalhar flores na rua para o compasso e receber o Jesus em casa. Claro que ainda fantasia muita coisa, fruto do seu imaginário.....como dizer que o Jesus estava a chegar de mota, pois ouvia o barulho na estrada.
De resto, e com o bom tempo que nos brindou o fim de semana, aproveitámos os dias para programas ao ar livre, sobretudo no nosso jardim. Pequeno-almoço à beira-mar, passeios de bicicleta, pinturas, bolos.......e no final de tudo uma caminhada ao pôr-do-sol!
Espero que tenham passado uma Páscoa com muitas coisas boas :)







4 de abril de 2015

Ser mãe também é...

...ouvir o Baby Boy falar com a maninha que ainda está na barriga da mãe. Quase todas as noites se despede dela com um beijinho, uma festinha e uma conversinha......"dorme bem maninha, tem bons sonhos......sonha com ovos kinder". E no final ainda me diz que ela ouviu tudo e até falou com ele!!!!!

1 de abril de 2015

Um novo quarto

Finalmente mostro-vos a cama nova do Baby Boy. Depois de muito ponderar, de mudar de ideias muitas vezes, decidimos optar por um modelo ainda de criança. Lá fomos ao IKEA e trouxemos uma cama branquinha, como quase todos os móveis que temos em casa. Para além da cama e colchão, também tivemos que comprar alguma roupa de cama, pois com estas novas medidas não tínhamos nada. A Zara Home foi a loja escolhida e achei que esta capa de edredão básica e reversível (do outro lado é branca) era a ideal, pois as capas de almofada já têm cor e padrão suficiente. O banco que já serviu para nos sentarmos a pintar com o Baby Boy é agora a nova mesinha de cabeceira, onde não faltam carros, claro!!!
E como já devem ter percebido, as paredes continuam imaculadas. Não sei porque me custa tanto furar paredes. O que é certo é que as molduras continuam em cima da cómoda e os livros ainda estão no cesto ao fundo da cama.
A adaptação à nova cama foi pacífica, mas o Baby Boy também não tinha mais opções (tirando a cama dos pais, para onde quer sempre escapar-se). Subimos o colchão da cama de grades onde ele estava e colocámos a grade que antes tínhamos tirado. E assim já temos a cama preparada para a Baby Girl que chega no verão.