17 de dezembro de 2015

Uma peripécia na minha vida

Esta história que vos vou contar não é de alto interesse social, mas decidi partilhar. Costumo contá-la quando estou entre amigos no meio daquelas conversas em que cada um fala sobre coisas engraçadas que já lhes aconteceram.
Tinha eu 18/19 anos e ia a caminho da paragem de autocarro para as aulas na faculdade. Mesmo pertinho de minha casa passei ao lado de um carro que estava estacionado e ele começa a andar e a acompanhar-me. Não olhei, para não dar aso a más interpretações. Mas o carro vinha sempre a "seguir-me" e eu tive que olhar com cara de "mas que vem a ser isto?.....não estava bem estacionado?". E foi aí que percebi....................ups....................não estava ninguém no carro. Por milésimos de segundo ainda pensei que era algum engraçadinho....mas não estava ninguém ali à volta. Aliás, a rua estava deserta. O carro ia direitinho a uma parede, pelo que num ato quase involuntário atirei a minha pasta para o passeio e fiquei a segurar no carro. Sim, leram bem. Coloquei as minhas mãos na frente do carro e fiquei ali à espera que alguém passasse (valeram-me is treinos intensos de andebol que fazia na altura). E fiquei ali uns 5 minutos. Ainda gritei "socooooooorro" (e só de pensar agora na minha figura já me estou a rir), mas de nada valeu. Entretanto aparece um senhor, que por acaso até sabia onde o dono do carro morava. Foi lá chamá-lo. O dono apareceu com cara de dormir, entrou no carro e puxou o travão de mão. Nem obrigada, nem desculpe, nada de nada. Eu já estava a ficar no limite para perder o autocarro e também não estive ali com grandes conversas. Fui o caminho todo a pensar e a achar que aquilo nem tinha acontecido.
Ainda hoje, quando passo naquela rua começo a rir-me sozinha, só de me lembrar desta história.
E por aí, alguém com peripécias engraçadas?!

Sem comentários:

Enviar um comentário