4 de novembro de 2016

Halloween

O halloween é cada vez mais festejado no nosso país. Confesso que não acho muita piada ao conceito, pois não gosto de coisas feias e assustadoras. No entanto, nem concordo, nem discordo que se façam estes festejos. Se por um lado é certo que estamos a comemorar uma tradição que não é nossa, por outro, neste mundo cada vez mais globalizado, porque não as pessoas divertirem-se? Acho que cada um deve fazer o que o deixar mais feliz, desde que isso não interfira com a vida das outras pessoas. 
No nosso bairro, os miúdos que por ali vivem juntam-se e andam a bater às portas. Nós estamos sempre prevenidos, pois nunca sabemos o que nos vão aprontar. Este ano não foram muito mauzinhos e os últimos a tocarem à campainha (já nós estávamos a dormir e a campainha ficou desligada), apenas deixaram uns pózinhos de farinha na entrada e pouco mais. Já nos aconteceu atirarem com farinha e papel molhado à porta da entrada (que na véspera tinha sido envernizada) por mero gozo e maldade, pois nem sequer tocaram ou bateram à porta! Enfim!
O Vicente não quis andar de porta em porta e preferiu escolher uma máscara de Transformer para ficar em casa a "receber" os miúdos que por lá passaram. Na realidade, ele escondeu-se debaixo da mesa todas as vezes que nos bateram à porta!!!!!!!
O mais importante disto tudo foi ele divertir-se com a máscara, pedir para vesti-la várias vezes para brincar e passear de bicicleta. E quando o meu filho está feliz, viva o halloween :)


Sem comentários:

Enviar um comentário