28 de setembro de 2017

O sono dos meus filhos

Ando há meses para escrever sobre este tema. É apenas a minha experiência, com os meus dois filhos. Provavelmente, este post vai ser extenso, mas o meu objetivo é comprovar como é possível ensinar uma criança a adormecer sozinha e a dormir a noite toda. E que esse bem estar da criança é, sem dúvida, um bem estar para o resto da família. No nosso caso foi assim!

Quando o Vicente nasceu, éramos pais de primeira viagem e tentávamos perceber o que estava correto e incorreto, o que devíamos ouvir daqui e dali e como sabíamos atuar com o nosso instinto. Relativamente ao sono, fomos deixando rolar, até percebermos que praticávamos o co-sleeping. Estávamos tão cansados de noites mal dormidas, que chegámos à conclusão que dormir com o bebé na nossa cama era a única forma de conseguirmos descansar.
Com o Vicente a crescer e a ficar menos espaço na nossa cama, tentei procurar alguma estratégia que nos ajudasse. Descobri o livro da Filipa Sommerfeldt Fernandes: "10 Dias para Ensinar o seu Filho a Dormir" e não perdi muito tempo a devorá-lo. É de leitura muito fácil e a abordagem que a Filipa tem para com este tema do sono pareceu-me muito equilibrada e exatamente aquilo que eu procurava. Devo ter lido umas duas vezes, mas sem nunca aplicar o que no livro é referido. O Vicente entrou para a creche, depois adoeceu, depois fez o desfralde, depois eu fiquei grávida (e andava tão cansada que não tinha vontade de começar a ensiná-lo a dormir...), depois a Inês nasceu......e tudo isto foi passando e eu adiando.....!

Com a Inês foi diferente. Já tinha lido e relido o livro mais umas vezes e estava segura daquilo que era necessário fazer. Estava tudo a correr muito bem, até que a Inês começou a adormecer muito facilmente ao colo e dormia a noite toda. Pensei: "Se dorme a noite toda e adormece bem assim, nem vou mexer mais nesta estratégia". Mas perto do seu primeiro aniversário, as coisas começaram a ficar mais complicadas. Era uma saga para adormecê-la e as noites eram péssimas. Lembro-me perfeitamente de estar a adormecê-la durante mais de uma hora e só me apetecer chorar. Estava exausta. Doíam-me os braços, as costas e já sabia que a noite só ia "melhorar" quando a deitasse na minha cama.....e onde o Vicente também já estava. Não cabíamos todos. Foi nesta noite que decidi que do dia seguinte não passava. Assim que ela adormeceu, devorei novamente o livro da Filipa, sobretudo no capítulo que explicava o que se devia fazer no primeiro dia. Como a parte da rotina definida e de deitar cedo já estava implementada desde que a Inês nasceu, só tinha que me preocupar com "o que fazer quando chegar o momento de a deitar na cama". 
Confesso que ao jantar, antes de começar mais uma vez a rotina, apeteceu-me desistir. Estava tão cansada que aquela euforia e vontade do dia anterior pareciam ter desaparecido. Ganhei coragem e lá fui eu com a Inês para o quarto. Segui à risca o que dizia no livro e 6 a 7 noites depois, a Inês adormecia sozinha e dormia a noite toda (no mínimo, 11h seguidas).
Eu não queria acreditar. Beliscava-me todos os dias após deitá-la e entrar no meu quarto. Como era possível, assim de repente, deitar a Inês na cama de grades, dizer "Dorme bem", dar-lhe a Margarida (um peluche que ela gosta muito) e sair?!?!?!?!?! Ela não chamava, ela não chorava, às vezes até ficava a palrar uns minutos e depois adormecia. E dormia muito bem! Dava por mim a entrar no meu quarto às 20.30. E ainda parecia tão cedo, não fosse ter que adormecer o Vicente e levá-lo para a cama dele. 
Passaram 6 meses assim....e eu sempre sem acreditar como era possível ser assim tão fácil adormecer e dormir tão bem, como há muito não acontecia. Sentia-me leve e a hora de ir dormir era um momento agradável.

Quem me segue há mais tempo, já se deve ter apercebido que eu dedico uma semana do ano ao meu desporto do coração, o andebol. Eu e mais umas amigas costumamos formar uma equipa e participar num torneio, que se realiza durante uma semana e onde temos jogos à noite. Esse torneio chegou, faltava uma semana para a Inês completar 2 anos. E como estava tudo tão pacífico relativamente ao sono dela.....achei que não havia problema nenhum. Mas, havia uma variável que eu não tinha feito como a Filipa diz no seu livro. Era sempre eu que deitava a Inês, pelo que o meu marido não estava habituado a fazê-lo (fez esporadicamente, mas não por rotina).
Expliquei-lhe direitinho os passos que eu dava todas as noites e ele ficou com ela. Correu muito bem na primeira noite...e na segunda....mas depois já não correu tão bem. Sei que na véspera da Inês fazer 2 anos, ao deitá-la na cama, ela chorou muito e não conseguiu adormecer. E no dia seguinte igual...e depois também. 
Esta situação coincidiu com o facto de nos termos comprometido emprestar a cama de grades para outro bebé da família. Como vimos que a Inês não estava a adormecer como o habitual e íamos ter que voltar ao início, decidimos trocá-la também de cama (passou para a cama que era do Vicente). Não sei se foi muito arriscado. Não sei se foi boa ou má decisão. 
Voltei ao livro da Filipa...... onde era aconselhado não aplicar o método em várias situações, uma delas....se fôssemos de férias. Faltavam duas semanas para irmos de férias e decidimos não aplicar nada. Quando regressámos, a Inês entrou para a creche e também adiámos o método para a ensinar a dormir. Neste momento estamos a aguardar que a Inês consolide a sua adaptação para voltar ao livro da Filipa. Sei que não vai ser fácil, pelo que nunca deixei de aplicar algumas dicas do livro. Não a deixo adormecer no meu colo ou comigo a fazer-lhe festas, por exemplo. Ela demora mais a adormecer, mas sempre sozinha e comigo ainda no quarto. De noite, tem acordado uma vez e nunca fica na nossa cama. É só deitá-la e fica até de manhã.

E depois deste texto lonnnnnngo, queria deixar aqui um agradecimento à Filipa Sommerfeldt Fernandes, por ter encontrado uma forma tão equilibrada de nos ajudar a ensinar os nossos filhos a dormir. Agradecer por ter passado os seus ensinamentos para livro e assim ficar mais acessível a qualquer pessoa (já o aconselhei a várias amigas). 
Eu vou voltar a ensinar os meus filhos a dormir (desta vez, o Vicente também. Aliás, o Vicente já adormece sozinho, mas ainda faz visita aos pais a meio da noite) e vamos ser ainda mais felizes, porque uma boa noite de sono também traz felicidade :)


2 comentários:

  1. Não li o livro que referes mas a técnica usada aqui por casa desde o nascimento foi o de colocar o berço colado à nossa cama. Até aos 6 meses (+-) foi assim. Quando passou para a cama de grades, onde já dormia as sestas de dia, começou a dormir no quarto dela. Durante vários meses ia acordando algumas vezes durante a noite mas nada de mais. Teve uma ou outra fase mais complicada mas de forma geral dorme bem sozinha e a noite toda. Talvez tenha a ver com a rotina criada desde bebé, talvez seja dela. As crianças são uma caixinha de surpresas ;) Mas também (ainda) não adormece sem a chupeta e quer que eu espere até ela adormecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O importante é mesmo deitar cedo e dormir bem.....seja qual a "teoria" aplicada :)))
      Beijinhos

      Eliminar